Empresas têm 400 estágios e empregos para futuros economistas e gestores

A feira de emprego da Faculdade de Economia da Universidade do Porto realiza-se entre 3 e 4 de março, com a participação de cerca de 60 empresas.

A 20.ª edição do FJC Porto de Emprego regressa à Faculdade de Economia da Universidade do Porto nos dias 3 e 4 de março com cerca de 60 empresas, que disponibilizam aos 8 mil estudantes esperados cerca de 400 oportunidades de emprego e estágio.

A feira retoma o seu local de origem nas instalações principais da FEP, após a remodelação das instalações. Organizado pela FEP Junior Consulting (FJC), empresa de consultoria da Faculdade, em parceria com o Serviço de Desenvolvimento e Carreira, a iniciativa conta este ano com cinco novas empresas: Super Bock Group, Sonae Fashion, Sodexo, LTPlabs e Switch.

“O elevado número de empresas participantes, bem como o número de estudantes esperado, constituem um recorde particularmente assinalável nesta edição”, destaca a organização.

O primeiro grande momento da feira é o ‘Speed Recruitment’, logo no dia 3. Um grupo de 24 alunos, selecionados entre 122 candidaturas, terão a oportunidade de participar individualmente numa entrevista ‘flash’ com 24 empresas. A maioria sairá com oportunidades de emprego ou estágios ou marcação para novas entrevistas.

A 20.ª edição da iniciativa veste-se de responsabilidade ambiental, substituindo o plástico por papel nos coffee breaks e fornecendo água em dispositivos que dispensam as garrafas de plástico.

Empresas presentes 

Estas são as empresas que vão marcar presença nesta edição da FJC Porto de Emprego: Accenture, Adidas, Alerta Emprego, Banco de Portugal, BDO, BNP Paribas, Calzedonia, Coca Cola, Colep, Continental, Crowe, CUF, Decathlon, Deloitte, DESFO, Holding, EDP, Education First, Engel & Volkers, EY, Grupo Mota-Engil, Grupo Salvador Caetano, Hays, Hilti, Hitachi Solutions, Infineon Technologies, JAP, Jerónimo Martins, KLOG, KPMG, Lactogal, Leroy Merlin, LGG Advisors, Lidl, L’Oréal, LTPlabs, Mazars, Nestlé, NORS, NOS, Parfois, PwC, Rangel, SEG Automotive, Sodexo Business Services, Sonae, SONAE Fashion, Sonae IM, Super Bock Group, Switch, U World, Viagens Abreu SA, Vodafone, Walter Group.

Ler mais
Recomendadas

Associação sindical pede ao Governo que ensino passe a funcionar em regime não presencial

Associação Sindical de Professores Licenciados defende que durante o confinamento geral do país, as escolas se mantenham abertas apenas para os alunos cujos pais pertencem a serviços essenciais ou para quem não têm condições para continuar o ensino em casa.

SNESup quer acesso prioritário à vacina para professores do superior

Mariana Gaio Alves, presidente do Sindicato Nacional do Ensino Superior, adiantou ao Jornal Económico que vai apelar às autoridades de saúde para considerem os docentes prioritários, devido ao facto de não se encontrarem em teletrabalho.

Sindicato Independente de Professores e Educadores: “Não concordamos com a decisão de não fechar as escolas”

O SIPE diz que o Governo optou por um “confinamento parcial”, uma vez que dois milhões de crianças e jovens continuam a circular livremente e receia que os sacrifícios económicos, psicológicos e sociais dos portugueses “de nada sirvam”.
Comentários