Engenharias reafirmam liderança nas notas e Medicina continua a descer

O Top 10 das notas mais altas de entrada no Ensino Superior é dominado pelos cursos de Engenharia, pelo Instituto Superior Técnico, individualmente (quatro cursos nos 10 primeiros) e pela Universidade do Porto, com três escolas na lista. A descida das notas em Medicina é outro dos destaques do Concurso Nacional de Acesso deste ano.

Bruno Barbosa

Uma das surpresas do Concurso Nacional de Acesso 2018/2019 vai para a Universidade da Madeira e para o curso de Engenharia Civil, onde um aluno foi colocado com 189,4. Foi a única das 20 vagas ocupadas.

Engenharia Física Tecnológica, do Instituto Superior Técnico, registou a segunda nota mais alta de entrada no Ensino Superior. As 61 vagas foram preenchidas num ápice com a nota do último aluno colocado a atingir os com 189,0. 

Uma outra Engenharia ministrada na mesma escola – Engenharia Aeroespacial -, que, no ano passado tinha obtido a melhor nota, ocupa este ano o terceiro lugar no Top 10 do Concurso Nacional de Acesso com 188,5.

O quarto curso mais ‘cobiçado’ para o ano letivo 2018/2019 é Engenharia e Gestão Industrial, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

O Top 10 das notas mais altas é dominado pelas engenharias, que asseguram seis das 10 melhores notas, pelo Instituto Superior Técnico, enquanto escola individualmente considerada, com quatro cursos nos 10 primeiros e a Universidade do Porto, com três escolas no cômputo geral – Faculdade de Engenharia, Faculdade de Medicina e Instituto Superior Abel Salazar.

Nos destaques deste concurso há ainda a assinalar uma ‘desvalorização’ da Medicina, que não só assiste a uma descida das médias como tem menos cursos no top 10 relativamente a anos recentes.

O número de estudantes colocados nesta 1ª fase do Concurso Nacional de Acesso mostra ainda as seguintes variações: aumento de 4,5% na área de Física face ao ano anterior, tendo sido ocupada a totalidade das vagas disponíveis. O aumento registado é de cerca de 25% comparativamente a 2016-2017, desde que foi tomada a opção de privilegiar esta área na afetação de vagas.

Os estudantes colocados na área de Tecnologias de Informação, Comunicação e Eletrónica (TICE) é de 6,3% superior ao número de colocados em 2016-2017, apesar da redução de 2 % face ao ano anterior.

 

 Top 11

 Curso                                                             Instituição                                               Nota do último colocado

Engenharia Civil (inglês)                                Univ. Madeira                                                          189,00

Engenharia Física Tecnológica  IST  189,00

Engenharia Aeroespacial  IST  188,50

Engenharia e Gestão Industrial FEUP  186,30

Matemática Aplicada e Computação IST 183,50

Bioengenharia  FEUP 183,00

Medicina  ICBAS  182,2

Medicina F.Medicina                                                UPorto 181,00

Engenharia Biomédica IST  181,00

Medicina UMinho   180,50

Línguas e Relações Internacionais   Uporto 180,0

Ler mais
Recomendadas

“Levem lombo, cachaço e costeletas”. Mega churrasco na Universidade de Coimbra marcado para novembro

O evento foi criado na rede social Facebook e já conta com mais de duas mil pessoas ‘confirmadas’. No passado dia 17 de setembro o reitor da universidade, Amílcar Falcão, anunciou a proibição de carne de vaca nas cantinas no combate às “alterações climáticas”.

“Universidade com 700 anos quer banir um alimento com milhares de anos? Incompreensível”. Produtores de leite revoltados com Universidade de Coimbra

A organização explica que a carne não é o principal produto das vacarias e que a venda ou engorda dos vitelos machos e das vacas após o fim da vida produtiva “é um complemento fundamental, quando o preço do leite está abaixo do custo de produção”.

Oeiras anuncia 1,8 milhões por ano até 2025 para a ciência

Oeiras torna-se o primeiro município a disponibilizar uma verba exclusivamente para a ciência.
Comentários