“Engenheiras Por Um Dia” contra a segregação das profissões em razão do sexo

Está a decorrer a segunda edição desta iniciativa que visa promover as áreas da engenharia e da tecnologia junto das jovens que frequentam o terceiro ciclo do ensino básico e o ensino secundário. Projeto envolve 27 escolas e cerca de três mil alunas de todo o país. Amanhã realiza-se a última sessão em Lisboa.

O objetivo é promover as áreas da engenharia e da tecnologia junto das jovens que frequentam o terceiro ciclo do ensino e básico e o ensino secundário. Sob o mote “Engenheiras Por Um Dia“, o projeto “leva às escolas e alunas desafios práticos” dessas áreas, visando “prevenir e combater a intensificação da segregação das profissões em razão do sexo”. Está a decorrer a segunda edição desta iniciativa que envolve 27 escolas e cerca de três mil alunas de todo o país. Amanhã realiza-se a última sessão em Lisboa.

“Vai ser a segunda sessão de encerramento desta edição e vai decorrer no Pavilhão do Casal Vistoso, em Lisboa, pelas 10h da manha. A primeira sessão de encerramento decorreu ontem em Guimarães, tendo envolvido mais de 500 jovens em 40 laboratórios e workshops de robótica, computação, realidade virtual, eletrónica e outras áreas relacionadas com as engenharias e a tecnologia”, informa a Secretaria de Estado para a Cidadania e a Igualdade, através de um comunicado.

“O mesmo modelo vai ser seguido nesta segunda sessão de encerramento e as 40 atividades vão ser dinamizadas por algumas das entidades parceiras, tais como: Instituto Superior Técnico, Universidade Atlântica, Universidade Nova de Lisboa, Altice, Altran, IBM, Microsoft, Vodafone e Ordem dos Engenheiros. A secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro, vai participar neste dia dedicado ao combate da segregação sexual das profissões tecnológicas”, acrescenta.

“Engenheiras Por Um Dia” é uma iniciativa que “procura combater a segregação das escolhas e ocupações profissionais em razão do sexo e, em especial, a reduzida presença das mulheres nas áreas de engenharias e tecnologias”. De acordo com o comunicado, “o projeto dirige-se a jovens que frequentam o terceiro ciclo do ensino básico e o ensino secundário, envolvendo uma rede de parcerias que incluiu 27 escolas e 11 estabelecimentos de ensino superior de todo o país, 25 empresas e outras entidades”.

Entre as atividades promovidas junto das escolas destacam-se as sessões de role model e mentoria, visitas de estudo às empresas e desafios de engenharias promovidos pelas entidades e alunas do ensino superior. Nesta segunda edição do projeto foram envolvidas cerca de três mil alunas de todo o país.

Recomendadas

Sonae diz-se preocupada com o ‘Luanda Leaks’

O grupo cruza interesses com Isabel dos Santos na NOS e por pouco não aumentou a exposição às parcerias com a empresária angolana através da ida dos hipermercados para aquele país africano.

Grupo Vila Galé confirma desistência do projeto de Una na Bahia

“Nunca houve ali indígenas, nunca ali houve uma reserva indígena, não há, nem vai haver, como vão ver daqui a pouco tempo, quando surgir a decisão final”, garantiu Jorge Rebelo de Almeida reagindo às notícias de que o projeto iria inviabilizar uma reserva de indígenas brasileiros.

Vila Galé vai investir 45 milhões e abrir mais três hotéis em 2020

Com a abertura destas três unidades hoteleiras e a ampliação do Vila Galé Douro Vineyards, o grupo irá aumentar a sua oferta em 318 quartos – atualmente gere mais de 7.500 quartos – elevando de 34 para para 37 hotéis em Portugal (27) e no Brasil (dez).
Comentários