“Engenheiras Por Um Dia” contra a segregação das profissões em razão do sexo

Está a decorrer a segunda edição desta iniciativa que visa promover as áreas da engenharia e da tecnologia junto das jovens que frequentam o terceiro ciclo do ensino básico e o ensino secundário. Projeto envolve 27 escolas e cerca de três mil alunas de todo o país. Amanhã realiza-se a última sessão em Lisboa.

O objetivo é promover as áreas da engenharia e da tecnologia junto das jovens que frequentam o terceiro ciclo do ensino e básico e o ensino secundário. Sob o mote “Engenheiras Por Um Dia“, o projeto “leva às escolas e alunas desafios práticos” dessas áreas, visando “prevenir e combater a intensificação da segregação das profissões em razão do sexo”. Está a decorrer a segunda edição desta iniciativa que envolve 27 escolas e cerca de três mil alunas de todo o país. Amanhã realiza-se a última sessão em Lisboa.

“Vai ser a segunda sessão de encerramento desta edição e vai decorrer no Pavilhão do Casal Vistoso, em Lisboa, pelas 10h da manha. A primeira sessão de encerramento decorreu ontem em Guimarães, tendo envolvido mais de 500 jovens em 40 laboratórios e workshops de robótica, computação, realidade virtual, eletrónica e outras áreas relacionadas com as engenharias e a tecnologia”, informa a Secretaria de Estado para a Cidadania e a Igualdade, através de um comunicado.

“O mesmo modelo vai ser seguido nesta segunda sessão de encerramento e as 40 atividades vão ser dinamizadas por algumas das entidades parceiras, tais como: Instituto Superior Técnico, Universidade Atlântica, Universidade Nova de Lisboa, Altice, Altran, IBM, Microsoft, Vodafone e Ordem dos Engenheiros. A secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro, vai participar neste dia dedicado ao combate da segregação sexual das profissões tecnológicas”, acrescenta.

“Engenheiras Por Um Dia” é uma iniciativa que “procura combater a segregação das escolhas e ocupações profissionais em razão do sexo e, em especial, a reduzida presença das mulheres nas áreas de engenharias e tecnologias”. De acordo com o comunicado, “o projeto dirige-se a jovens que frequentam o terceiro ciclo do ensino básico e o ensino secundário, envolvendo uma rede de parcerias que incluiu 27 escolas e 11 estabelecimentos de ensino superior de todo o país, 25 empresas e outras entidades”.

Entre as atividades promovidas junto das escolas destacam-se as sessões de role model e mentoria, visitas de estudo às empresas e desafios de engenharias promovidos pelas entidades e alunas do ensino superior. Nesta segunda edição do projeto foram envolvidas cerca de três mil alunas de todo o país.

Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

Novo Banco vende “Rei dos Cogumelos” em plena crise

O Novo Banco, maior credor do grupo Sousacamp, com 49% dos créditos, acordou a venda do maior produtor ibérico de cogumelos ao Core Capital.

Covid-19: Kaeser garante assistência a equipamentos de ar comprimido de hospitais e da indústria

Além de cerca de três mil empresas do setor industrial, em Portugal a Kaeser trabalha com hospitais como o Grupo Trofa Saúde, Hospital Santo António, Hospital de Braga, Hospital de Santa Maria, Hospital de Gaia, Hospitais de Coimbra, Hospitais Lusíadas e Fundação Champalimaud.
Comentários