Eni e Galp estimam que haja petróleo no Alentejo equivalente a 17 anos de consumo nacional

Numa altura de grande contestação em relação à prospeção de petróleo no Alentejo, o consórcio Eni e Galp estima que as receitas potenciais possam chegar aos 57 mil milhões de euros. As ‘royalties’ para o Estado, em 30 anos, seriam de 4 mil milhões de euros.

O volume potencial recuperável de petróleo na Costa Vicentina está entre os 1.000 e os 1.500 milhões de barris, segundo um estudo do consórcio Eni e Galp, a que o jornal Expresso teve acesso. O documento indica que a região pode ter recursos equivalentes a 17 anos de consumo nacional, que é atualmente importado e poderia ter impacto na balança comercial portuguesa.

“Se for provada a presença de hidrocarbonetos, a sua exploração, numa localização que não visível da costa, representará uma oportunidade para o desenvolvimento económico de Portugal e para reduzir o défice da balança comercial e energética do país”, referiram as empresas, num comunicado enviado ao semanário.

Numa altura de grande contestação em relação à prospeção de petróleo no Alentejo, o consórcio estima que (à atual cotação do crude), as receitas potenciais possam chegar aos 57 mil milhões de euros, o que representaria 4 mil milhões em royalties para o Estado, numa concessão de 30 anos. O primeiro furo para a realização de um teste de 46 dias está previsto para o final do ano.

Relacionadas

Consórcio com Galp ganha um ano para pesquisa de petróleo na costa alentejana

Governo deu ‘luz verde’ à prorrogação, por um ano, do período inicial de prospeção e pesquisa de petróleo na bacia do Alentejo, por considerar que o atraso na operação não é da responsabilidade do consórcio liderado pela petrolífera italiana Eni, que integra a Galp.

Petróleo em Portugal: as decisões do Governo, os principais investidores e os custos económicos

A Comunidade Intermunicipal do Algarve criticou hoje a decisão do Governo de renovar uma licença para pesquisa de petróleo ao largo de Aljezur, na costa sudoeste de Portugal, e exortou o executivo a rescindir o contrato que a autoriza.

Galp desistiu da pesquisa de petróleo em Peniche no primeiro semestre do ano

O movimento Peniche Livre de Petróleo, que em dezembro entregou à Assembleia da República uma petição pelo cancelamento de todos os contratos, diz que o documento não perde relevância.
Recomendadas

A importância do “jornalismo lento” como impulsionador do “pensamento crítico sobre o que nos rodeia”

Quiosque Manifesto organiza palestra sobre o “jornalismo lento”, com um dos editores da revista “Delayed Gratification”, precursora desse conceito. A coordenadora Inês Catarina Pinto refuta a “morte do papel”, diz que “estamos a viver uma época de ouro das publicações independentes” e enaltece a “valorização da informação como conhecimento”.

Luz Saúde aumenta lucros para 9,4 milhões de euros

O grupo manteve a sua trajetória de crescimento orgânico combinado com a expansão geográfica da rede de cuidados privados.

Amorim/Vanguard sozinho no concurso para a venda da Comporta

‘And then there was one’. O grupo Amorim e a Vanguard Properties de Claude Berda ficaram sozinhos no concurso organizado pela Deloitte. Mas ainda tem de passar na Assembleia de Participantes.
Comentários