“Ensinam quando não estão em greve”. Professores indignam-se com ‘palavras cruzadas’ do ‘Expresso’

Este exercício resultou na manifestação de alguns utilizadores de redes sociais que criticaram o jornal e os seus responsáveis sobre a escolha da definição para que fosse encontrada a palavra ‘professores’.

Um exercício de ‘palavras cruzadas’ na última edição do jornal Expresso está a gerar controvérsia na classe profissional dos professores. Tudo porque para definir que palavra de onze letras deveria ser colocada na horizontal, o jornal Expresso utilizou a expressão “ensinam quando não estão em greve”.

Este exercício resultou na manifestação de alguns utilizadores de redes sociais que criticaram o jornal e os seus responsáveis sobre a escolha da definição para que fosse encontrada a palavra ‘professores’.

https://twitter.com/hmendes/status/1150369992279543808

Ler mais
Recomendadas

Morreu Sindika Dokolo, marido da empresária Isabel dos Santos

O empresário congolês encontrava-se no Dubai, onde Isabel dos Santos havia postado uma fotografia na sua conta pessoal de Instagram na tarde desta quinta-feira.

Maior desafio do próximo século será reconciliar a biodiversidade com a economia, defende Comissão Europeia

Durante a terceira edição do Blue Bio Value, John Bell, um dos membros da Direção-Geral de Pesquisa e Inovação da Comissão Europeia considerou que o próximo passo da transição sustentável será reconciliar a biodiversidade com a economia. “Essa vai ser a tarefa mais desafiante do próximo século”, vincou.

António Costa defende que se “destruam os fantasmas da regionalização”

“É preciso destruir os fantasmas da regionalização, para que o país possa um dia pronunciar-se de novo sobre este tema, sem temores de aumento de despesa, multiplicação de lugares, etc. Porque é que os cidadãos não hão-de eleger os seus representantes regionais se já conseguimos que os autarcas o fizessem?”, questionou o primeiro-ministro.
Comentários