Equipa especial do Ministério Público investiga 12 processos do futebol

Há três procuradoras que têm em mãos os inquéritos mais complexos sobre os campeonatos de futebol profissional, formando uma equipa especial do DCIAP, criada em abril de 2018.

A equipa especial de procuradores do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), criada em abril de 2018, para investigar crimes no futebol português, têm 12 inquéritos em curso, revela esta quarta-feira o “Jornal de Notícias” (JN).

Segundo o JN, há três procuradoras do Ministério Público (MP) que têm em mãos os inquéritos mais complexos sobre os campeonatos de futebol profissional, formando uma equipa especial.

Entre os casos a ser investigados (sete na comarca de Lisboa, dois na do Porto, um na de Braga, um na de Santa Maria da Feira e um na de Coimbra) está por exemplo um jogo entre o Sporting de Braga e o Futebol Clube do Porto, que envolveu ameaças a um árbitro.

O matutino avança ainda na edição de hoje que, apesar de o caso dos e-mails do Sport Lisboa e Benfica (SLB) não constar da lista – que está no despacho de acusação ao ‘hacker’ Rui Pinto – o DCIAP já avocou a investigação. O MP acredita que há indícios de que o SLB esteja no centro de um esquema organizado de relação com clubes.

Recomendadas

Ações do Benfica disparam mais de 70% após anúncio de OPA

As ações do emblema da Luz dispararam poucas horas depois da Sport Lisboa e Benfica SGPS ter lançado uma oferta pública e parcial de ações da SAD do clube, com uma contrapartida de 5 euros por ação para adquirir 28,06% que não detém.

Governo e Liga de futebol vão reunir para discutir descida do IVA

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto disse hoje que vai reunir na terça-feira com a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) para discutir uma possível redução do IVA para espetáculos desportivos.

SAD do FC Porto encaixa até 50 milhões com novo adiantamento de receitas televisivas

A SAD do FC Porto encaixou nesta segunda-feira 30 milhões de euros com uma nova emissão de obrigações pela Sagasta, envolvendo a cedência de receitas futuras de direitos televisivos, e podem entrar mais 20 milhões em janeiro.
Comentários