Erdogan: “União Europeia não atingirá os seus fins sem a Turquia”

O presidente turco falava, no âmbito da reunião do grupo SEECP, volta a insistir que a entrada da Turquia na União é um imperativo. Depois de Portugal – que não quis ‘mexer’ no assunto – a Eslovénia pode fazer voltar o assunto à agenda comum.

O presidente turco, Recep Erdogan, disse esta quinta-feira no âmbito da sua participação no Grupo de Cooperação do Sudeste Europeu (SEECP) em Antalya (Turquia), que a União Europeia não conseguirá atingir a dimensão geoestratégica e política que pretende ser ter a Turquia no sei agregado.

“Não é possível à União Europeia alcançar o seu objetivo de ser um centro de atração e poder sem a Turquia”, disse Erdogan, repetindo um raciocínio que tem vindo a fazer publicamente desde há algum tempo. “Ancara espera que a União se livre imediatamente da cegueira estratégica e avance no processo de adesão com uma agenda positiva”.

Erdogan disse ainda que os países da região Sudeste da Europa não têm o “luxo” de ficarem sentados a observar o que está a acontecer em relação à imigração irregular – numa clara alusão ao acordo entre a União e a Turquia, através do qual o agregado paga para que o regime de Ancara sirva de tampão aos refugiados.

Erdogan também alertou contra o aumento do racismo, da islamofobia e do sentimento anti-imigrante à escala global, que, disse, se tem transformado gradualmente num problema de segurança nacional.

O SEECP reúne os Balcãs, mas não só: Turquia, Albânia, Bósnia/Herzegovina, Bulgária, República da Macedónia, Roménia, Sérvia, Grécia, Croácia, Moldávia e Montenegro fazem parte do grupo, que Ancara observa como “um símbolo da vontade comum dos países da região em melhorarem a cooperação entre si e trazerem estabilidade ao Sudeste da Europa”. O próximo presidente do SEECP será a Grécia.

A questão da entrada da Turquia na União Europeia foi um problema que a presidência portuguesa do Conselho da União preferiu deixar de fora da agenda, mas é muito provável que a Eslovénia – que substituirá Portugal, pretenda ter uma palavra mais ativa sobre a questão. Para já, é oficial que a Eslovénia pretende acelerar o processo de adesão dos países dos Balcãs.

Recomendadas

Jovens entre 18 e 20 anos podem candidatar-se a 60 mil passes de interrail gratuitos

Os candidatos que ganhem um bilhete podem viajar durante 30 dias, entre março de 2022 e fevereiro de 2023, sendo que por ainda se desconhecer a evolução da pandemia, as reservas são flexíveis.

Bruxelas acusa Biden de “falta de lealdade e transparência” e exige explicações do pacto entre EUA, Austrália e Reino Unido

Charles Michel e von der Leyen consideram que existem “muitas perguntas por responder” depois de Joe Biden ter anunciado uma aliança entre a Austrália e o Reino Unido, tendo desfeito um acordo prévio entre a Austrália e a França sobre compra de submarinos. “Um dos nossos Estados-membros foi tratado de forma inaceitável, por isso queremos saber o que aconteceu e porquê”, frisou a presidente da Comissão Europeia.

Marcelo na ONU: “Conselho de Segurança deve ter presença de África, Brasil e Índia”

É um dos temas mais difíceis no interior da UNO, mas o Presidente português não quis deixar de se lhe referir. A sua intervenção foi toda ela no sentido da defesa do multilateralismo como única arma global para os problemas, que são também globais.
Comentários