ESI avançou com ação contra a Pharol para reclamar 750 milhões

A Pharol volta a afirmar que “não é devedora a qualquer título da ESI pelo que contestará a ação judicial e exercerá todos os direitos disponíveis e adequados”.

Luís Palha da Silva, CEO da Pharol

A ESI Internacional, empresa de direito do Luxemburgo, que declarou falência em outubro de 2014 avançou uma ação contra a Pharol (ex-PT SGPS).

O gestor da falência da empresa que foi o motor da falência do GES quer anular o pagamento que fez em janeiro de 2014 à PT SGPS. Trata-se de querer o reembolso de três emissões de papel comercial pago na altura à PT que depois de receber o dinheiro da ESI investiu, sob a forma de aplicações de tesouraria, em papel comercial da Rioforte.

A atual Pharol foi intimada da ação, mas considera que é desprovida de fundamento.

A ESI já tinha informado pretender ser ressarcida. Nesta sexta-feira a Pharol informou, em comunicado à CMVM, que “foi intimada pela curadoria da Espírito Santo International, tendo em vista uma eventual anulação de pagamentos de Notes efetuados pela ESI durante o mês de janeiro de 2014”. O gestor da falência da ESI diz que se deve a uma “medida de precaução para interromper qualquer período de prescrição”.

A Pharol volta a afirmar que “não é devedora a qualquer título da ESI pelo que contestará a ação judicial e exercerá todos os direitos disponíveis e adequados”.

 

Ler mais
Recomendadas

Recorde no Airbnb. Mais de 4 milhões de pessoas reservaram alojamento numa só noite

10 de agosto foi um dia histórico para a empresa criada em 2008.

Valor gerido por fundos de investimento imobiliário cai 26 milhões de euros em julho

A Interfundos (13,1%), a Norfin (10,4%) e a Square AM (10,3%) detinham as quotas de mercado mais elevadas em julho.

Há outro sindicato em guerra com o Governo, agora por causa da Ryanair

“A partir deste momento, os trabalhadores portugueses ficam a saber que para o Governo português só se podem fazer greves de um ou dois dias”, acusa o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil.
Comentários