ESI avançou com ação contra a Pharol para reclamar 750 milhões

A Pharol volta a afirmar que “não é devedora a qualquer título da ESI pelo que contestará a ação judicial e exercerá todos os direitos disponíveis e adequados”.

Luís Palha da Silva, “líder” da Pharol, dá por encerrados todos os litígios com a Oi

A ESI Internacional, empresa de direito do Luxemburgo, que declarou falência em outubro de 2014 avançou uma ação contra a Pharol (ex-PT SGPS).

O gestor da falência da empresa que foi o motor da falência do GES quer anular o pagamento que fez em janeiro de 2014 à PT SGPS. Trata-se de querer o reembolso de três emissões de papel comercial pago na altura à PT que depois de receber o dinheiro da ESI investiu, sob a forma de aplicações de tesouraria, em papel comercial da Rioforte.

A atual Pharol foi intimada da ação, mas considera que é desprovida de fundamento.

A ESI já tinha informado pretender ser ressarcida. Nesta sexta-feira a Pharol informou, em comunicado à CMVM, que “foi intimada pela curadoria da Espírito Santo International, tendo em vista uma eventual anulação de pagamentos de Notes efetuados pela ESI durante o mês de janeiro de 2014”. O gestor da falência da ESI diz que se deve a uma “medida de precaução para interromper qualquer período de prescrição”.

A Pharol volta a afirmar que “não é devedora a qualquer título da ESI pelo que contestará a ação judicial e exercerá todos os direitos disponíveis e adequados”.

 

Ler mais
Recomendadas

Greve na Transtejo/Soflusa desconvocada

A paralisação, agendada para a partir de terça-feira, foi hoje suspensa, na sequência da subscrição de um protocolo negocial entre a administração da empresa e os sindicatos.

Joe Berardo pondera chamar Vítor Constâncio como testemunha contra banca

O empresário e coleccionador de arte português José Berardo está a estudar a hipótese de chamar o antigo governador do Banco de Portugal (BdP) Vítor Constâncio como testemunha num processo movido pelos bancos, revela o “Público” esta segunda-feira. Em causa está o processo judicial para recuperar 962 milhões de euros. A informação foi transmitida ao […]

Crise em Angola obriga empresários a recrutarem mais talentos angolanos

Estudo divulgado esta segunda-feira revela que as empresas angolanas, em 2018, recrutaram mais licenciados e bacharéis para trabalhar na área tecnológica, com maior domínio de HTML, Java, SQL, Visual Basic e Visual Basic Net.
Comentários