Espanha, Finlândia, França e Noruega podem retirar armas à Turquia

A Noruega não vai aceitar novos pedidos de licenças de exportação de materiais de defesa e de materiais de múltiplos usos para a Turquia. Finlândia e Espanha também podem aderir a sanções militares.

STR/Lusa

A Noruega, país aliado da Turquia na NATO, anunciou a suspensão total de novas exportações de armas para Ancara após o início da ofensiva militar turca no nordeste da Síria. O país não vai aceitar novos pedidos de licenças de exportação de materiais de defesa e de materiais de múltiplos usos para a Turquia”, disse a chefe da diplomacia norueguesa, Ine Eriksen Soreide.

“Atendendo à complexidade da situação e que se altera rapidamente, o Ministério dos Negócios Estrangeiros, por medida de precaução, não vai aceitar novos pedidos de licenças de exportação de materiais de defesa e de materiais de múltiplos usos (…) para a Turquia até nova ordem”, declarou a chefe da diplomacia norueguesa, Ine Eriksen Soreide.

“De momento estamos a rever todas as licenças em vigor”, acrescentou numa mensagem enviada à agência noticiosa AFP pelo seu gabinete.

A Finlândia, que ao contrário da Noruega não é membro da NATO, também anunciou na quarta-feira a suspensão de todas as exportações de armamento em direção à Turquia ou outro país envolvido na guerra.

Já a Espanha, também membro da NATO, anunciou que retirará a bateria de mísseis antiaéreos Patriot, com um destacamento de 150 soldados, que foi colocada na base aérea de Incirlik, na fronteira da Turquia com a Síria em janeiro de 2015, se a situação na área piorar como resultado de a ofensiva turca contra as milícias curdos sírios.

Fontes diplomáticas adiantaram que o atual compromisso chega ao fim em dezembro deste ano, e embora houvesse anteriormente uma disposição de renová-lo por mais seis meses, é possível que o acordo venha a ser cancelado.

Entretanto, a França quer uma reunião urgente da coligação internacional que lutou contra o Daesh – de que fazem parte a própria França, a Turquia e os grupos curdos que estão a ser alvo de ataques por parte do regime de Ancara – para debater sem demora os acontecimentos na fronteira entre a Turquia e a Síria.

Ler mais
Relacionadas

“Abrirei os portões e enviarei 3,6 milhões de refugiados”. Erdoğan ameaça líderes europeus

Recep Tayyip Erdoğan ameaça que vai “abrir os portões” das fronteiras caso o ataque na Síria for considerado como “ocupação”. A Turquia lançou uma ofensiva militar contra os combatentes curdos no norte da Síria a 9 de outubro, com ataques aéreos que atingiram a cidade na fronteira de Ras al Ain.

Trump justifica abandono dos curdos: “Não nos ajudaram na Segunda Guerra Mundial”

Depois de ter ordenado a retirada das forças militares norte-americanas e dos turcos terem avançado com uma ofensiva no nordeste da Síria, Donald Trump defendeu o sucedido dizendo que os curdos não foram aliados na Segunda Guerra Mundial.
Recomendadas

Itália abre fronteiras mas exclui países que impõem restrições a italianos

Os passageiros serão testados à chegada e, se mostrarem resultados negativos para a infeção, ficarão em quarentena por sete dias. Se o teste der positivo, ou seja, se mostrarem que os viajantes estão infetados com covid-19, a quarentena será de 14 dias.

“Decepcionante e inexplicável”. OMS reage ao fim da cooperação com os EUA

EUA pagam entre 364 e 455 milhões de euros por ano à OMS, um valor que é muito superior aos 36 milhões de euros da China, conforme tem apontado Donald Trump.

Covid-19: Alemanha regista quase 182 mil casos e 8.511 mortes

A Alemanha contabiliza até hoje 181.815 casos de covid-19, um aumento de 333 em relação ao dia anterior, e 8.511 vítimas mortais, uma subida de 11 nas últimas 24 horas.
Comentários