Espanha quer cobrar 200 euros aos bancos por cada reclamação que recebam

O Governo espanhol quer criar a Autoridade Independente de Proteção do Cliente Financeiro para resolver litígios de consumo no setor da banca e segurador.

O Governo espanhol está a preparar um projeto-lei para criar uma autoridade de proteção dos consumidores financeiros. O objetivo é que esta entidade resolva reclamações envolvendo quantias até 50 mil euros no setor da banca e dos seguros.

Segundo o Cinco Dias, a Autoridade Independente de Proteção do Cliente Financeiro está a ser criada pelo ministério da Economia espanhol, com o objetivo de reduzir os abusos na comercialização de produtos financeiros.

Com a nova autoridade, Madrid também pretende reduzir o número de litígios contra a banca que entopem os tribunais espanhóis, na sua maioria relacionados com créditos à habitação, e com cláusulas dos bancos consideradas abusivas pelos clientes.

O objetivo da entidade é resolver os conflitos fora dos tribunais, em litígios que envolvam reclamações até 50 mil euros, segundo o projeto lei que ainda não está fechado, avançou o Cinco Dias.

Além de avaliar reclamações, a nova entidade também poderá avaliar se existem cláusulas abusivas nos contratos de crédito à habitação.

O Banco de Espanha é atualmente a única autoridade com capacidade de supervisão neste setor. Atualmente, recebe dezenas de milhares de reclamações e mais de 70% das suas resoluções são favoráveis ao consumidor.

No entanto, o supervisor espanhol não tem poderes para obrigar os bancos a seguir as suas recomendações, porque não são vinculativas. Resultado? O setor financeiro espanhol apenas acata uma em cada três recomendações, segundo o Cinco Dias.

O Governo espanhol também desenhou um sistema para assegurar o financiamento da nova autoridade que implica que os bancos tenham que pagar uma taxa de 200 euros por cada reclamação de que sejam alvo.

Perante o número de reclamações anuais, esta taxa implicaria que os bancos tivessem de pagar alguns milhões de euros por ano, destaca o jornal espanhol. O valor, no entanto, ainda pode ser revisto.

Recomendadas

Perdas do Novo Banco imputadas ao Fundo de Resolução. Veja a discussão e votação do relatório final da CPI

A Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução procede hoje à discussão e votação do relatório final. Veja em direto.

Sindicato dos trabalhadores da Altice pediu reunião com Autoridade da Concorrência

De acordo com comunicado do sindicato, a reunião com a Autoridade da Concorrência vai acontecer por videoconferência no próximo dia 29 de julho, depois de ter sido contactado pelo Departamento de Práticas Restritivas da entidade.

JLL vende dois supermercados arrendados ao Pingo Doce no Algarve

A transação foi realizada por cerca de seis milhões de euros, mantendo-se o retalhista alimentar como ocupante dos imóveis. Os dois supermercados foram vendidos pelo fundo de investimento imobiliário aberto Imofomento gerido pelo BPI Gestão de Ativos (BPI GA) a um fundo nacional. A JLL atuou na operação em representação do vendedor.
Comentários