Estabelecimentos comerciais em contentores: este era o plano para a Praça do Martim Moniz, em Lisboa. Medina chumbou

O chefe do executivo municipal deu conta da “decisão de não avançar com o projeto que tinha sido apresentado e de se iniciar um processo de concurso de ideias” para a “reconfiguração da praça do Martim Moniz” na reunião pública da autarquia, a decorrer esta tarde nos Paços do Concelho.

Cristina Bernardo

O projeto de requalificação da Praça do Martim Moniz, que previa a construção de estabelecimentos comerciais em contentores, não vai avançar, anunciou hoje o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina.

O chefe do executivo municipal deu conta da “decisão de não avançar com o projeto que tinha sido apresentado e de se iniciar um processo de concurso de ideias” para a “reconfiguração da praça do Martim Moniz” na reunião pública da autarquia, a decorrer esta tarde nos Paços do Concelho.

Fernando Medina (PS) admitiu que “por detrás do debate” decorrido nos últimos meses, marcado por muitas críticas de autarcas e moradores, “está uma preocupação legítima e profunda com a cidade, que é o facto de a cidade de Lisboa se ter alterado muito nos últimos anos” e a Baixa lisboeta se ter transformado “num espaço de pressão turística”.

“Eu identifico-me com estas posições. Acho que têm sentido. Acho que são uma leitura que importa valorizar sobre o estado atual da cidade de Lisboa”, reforçou.

O autarca salientou que, “ao longo destes últimos meses”, o executivo tem procurado uma “solução que sirva bem a cidade de Lisboa”, adiantando que tem havido um diálogo com o promotor e que não vai haver “uma rescisão unilateral do contrato” de concessão da Praça do Martim Moniz.

Relativamente às compensações financeiras a pagar pelo município, Fernando Medina disse que ainda não é possível quantificar e que em setembro essa questão será tornada pública.

O presidente da autarquia adiantou ainda que, para já, vão ser retirados os tapumes e a praça do Martim Moniz vai ficar tal como estava.

“Acho que esta é uma boa solução para a cidade. Uma boa solução para o Martim Moniz. Não me custa rigorosamente nada mudar de ideias, até porque acho que quando as mudamos para melhor é bom que isso aconteça”, reforçou Medina.

Ler mais
Recomendadas

Taxa de juro no crédito à habitação caiu para 1,011% em dezembro

Este valor representa uma descida de 0,6 pontos base (p.b) face ao mês anterior (1,017%).

Preços das casas em Portugal subiram 14% em novembro

Desde março de 2018 que as variações homólogas dos preços das casas em Portugal registam valores mensais superiores a 14%, excepto por um mês.

PremiumHostmaker: “Se matarem o alojamento local vão ter que o reativar”

David Costa, executivo da empresa em Lisboa, critica as medidas que o Estado pretende introduzir no setor no Orçamento do Estado para 2020: “O alojamento local tem custos bastante superiores ao alojamento tradicional”.
Comentários