Estado paga subvenções vitalícias a 239 ex-políticos e juízes

A lista divulgada este mês pela Caixa Geral de Aposentações (CGA) revela que há 310 ex-políticos entre antigos primeiros-ministros, ex-deputados ou autarcas e juízes do Tribunal Constitucional, dos quais 239 representam um custo para o Estado.

O Estado português paga subvenções vitalícias a 239 ex-políticos e juízes, cujos valores rondam entre os 883 e 13.607 euros mensais, segundo informa a edição desta quarta-feira, 22 de setembro, do jornal “Público”.

A lista divulgada este mês pela Caixa Geral de Aposentações (CGA) revela que há 310 ex-políticos entre antigos primeiros-ministros, ex-deputados ou autarcas e juízes do Tribunal Constitucional, dos quais 239 representam um custo para o Estado.

No ano de 2021 há menos quatro pessoas a beneficiar do direito a subvenções do que em 2020, mas mais oito a receber efetivamente. Contudo, o número de subvenções efetivamente pagas cresceu sucessivamente no período dos três anos em análise, passando de 227 em 2019, para 231 em 2020 e 239 em 2021.

Este ano o Estado a gastar por mês 460 mil euros em subvenções ativas e pagas na totalidade. Face ao ano passado, verificaram-se de acordo com esta lista , duas subvenções mensais vitalícias de 833 euros e 14 no valor de 999 euros cada, sendo que as de valor mais baixo estão ativas.

Recomendadas

Autárquicas: Rosário Farmhouse (PS/Livre) eleita presidente da Assembleia Municipal de Lisboa

A cabeça de lista da coligação “Mais Lisboa” (PS/Livre) à Assembleia Municipal de Lisboa, Rosário Farmhouse, foi esta segunda-feira eleita presidente deste órgão deliberativo do município da capital e comprometeu-se a promover o diálogo sobre o futuro da cidade.

PSD: Rangel considera legislativas antecipadas um cenário “pouco provável”, mas garante estar “preparadíssimo” para tal

O candidato à liderança do PSD considera que Rui Rio tem alienado votantes do leque alargado que o PSD necessita para vencer umas legislativas e acusa o atual líder de esperar que o PS perca eleições, em vez de as tentar ganhar.

Carlos Moedas toma posse e garante compromissos sem contrariar “princípios fundamentais” do seu programa

O novo autarca da capital coloca como prioridades o apoio aos jovens e aos mais idosos, bem como a habitação e a mobilidade, e lembrou que tem ampla experiência na busca de acordos de compromisso com as mais variadas forças políticas.
Comentários