Estado tem quatro mil imóveis por registar

Em causa estão imóveis que o Estado e outras entidades compraram ou expropriaram e não registaram. Governo quer proceder à “rentabilização” do património e à venda a privados.

O Estado português tem quatro mil imóveis, em todo o país, por registar. O Governo socialista aprovou um decreto-lei onde prevê um regime extraordinário para a regularização da situação jurídico-registral dos bens do Estado para que se possa proceder à “rentabilização” dos imóveis e à venda a privados.

Segundo avança o ‘Jornal de Notícias’, estão em causa imóveis que o Estado e outras entidades compraram ou expropriaram e não registaram. O Ministério da Modernização Administrativa não revela ao certo quantos são os imóveis em situação irregular, mas sendo apurou o jornal serão à volta de quatro mil, não contando com os imóveis a encargo das autarquias que “terão muitos problemas para resolver a esse nível”.

Os procedimentos de regularização dos imóveis aprovados em 2007 revelaram-se “insuficientes” e, agora, o Governo quer simplificar ainda mais o registo do património. As informações sobre o património são remetidas para o futuro Portal do Imobiliário Público – uma medida do Simplex 2016 – e disponibilizadas para a instalação de serviços públicos ou para a venda a privado com a “segurança necessária”.

Recomendadas

Covid-19: PSD questiona Governo sobre critérios para realização de testes de despiste

Os deputados do PSD eleitos pelo distrito de Viana do Castelo questionaram hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social sobre “os critérios para priorizar” os testes à covid-19, defendendo a sua realização “imediata” em lares da região.

Duarte Cordeiro e mais quatro Secretários de Estado nomeados “autoridades para execução” do Estado de Emergência

O Governo nomeou cinco Secretários de Estado como “autoridades de execução do estado de emergência” para cada uma das cinco grandes regiões do país. O Secretário de Estado da Mobilidade foi designado para a região do Norte; da Juventude e Desporto para a região do Centro; dos Assuntos Parlamentares para a região de Lisboa e Vale do Tejo; Adjunto e da Defesa Nacional para a região do Alentejo; e das Pescas para a região do Algarve.
rui_rio_psd_legislativas_1

PSD quer adiar pagamentos de impostos até outubro e reduzir IMI em 20% este ano

O PSD quer, com estas medidas, “aumentar a liquidez das empresas” e os rendimentos das famílias e sublinha que tal não implica perda de receita nas contas nacionais, uma vez que “esses valores são registados como receita este ano”.
Comentários