Estas são as companhias aéreas com crescimento mais rápido a nível mundial. A TAP está lá

Uma empresa de bandeira a competir com as low cost em termos de crescimento do número de lugares disponíveis é um facto raro, que a transportadora nacional atingiu.

Quatro das seis principais companhias aéreas de mais rápido crescimento no mundo no ano passado foram transportadoras lowcost, como seria de esperar – mas a TAP, que não pertence a essa categoria, faz também parte do restrito ranking, da responsabilidade da Routesonline.

A lista foi compilada pela classificação das 100 maiores operadoras do mundo por capacidade disponível em 2017; os dados foram comparados com o valor da capacidade anunciado em 2016 e ordenados por crescimento percentual ano-a-ano. Todos os 100 melhores tinham mais de um milhão de lugares disponíveis por mês durante 2017.

O estudo daquela empresa permitiu revelar que o forte crescimento dos negócios domésticos juntamente com o lançamento da primeira rota intercontinental, foram os mais fortes contributos para a lowcost chinesa (LCC) Lucky Air crescer a uma taxa mais rápida do que qualquer outra grande companhia aérea do mundo nos últimos 12 meses.

A companhia, uma subsidiária da Hainan Airlines, tinha mais 3,3 milhões de lugares disponíveis em 2017 em relação ao ano anterior, com uma taxa de crescimento de 35,3%. A Lucky Air lançou seu primeiro voo em 2006 e expandiu-se rapidamente nos últimos anos. Além do forte crescimento doméstico, conseguido com a ligação de cidades de ‘segundo nível’, a companhia concentrou-se na expansão no sul e sudeste da Ásia, com voos para Kuala Lumpur e Penang, entre outros.

Por outro lado, a Lucky Air lançou o seu primeiro serviço intercontinental com a ligação entre Kunming e Moscovo, a que rapidamente juntou serviços da Europa para São Petersburgo e Helsínquia.

No segundo lugar no ranking encontra-se a companhia aérea indonésia Sriwijaya Air, com um aumento de 32,6% na capacidade oferecida, que atingiu os 13 milhões de lugares disponíveis em 2017. A operadora concentrou-se no crescimento internacionalmente nos últimos meses, particularmente na China, adicionando serviços de Jacarta a Nanning e Haikou.

Igualmente oriunda da Indonésia, a Batik Air, propriedade do Lion Group, ocupa o terceiro lugar, depois de aumentar a sua capacidade disponível em 25% relativamente a 2016. Novas rotas lançadas pela operadora em 2017 incluíram Chennai-Bali e Medan Kuala Namu-Kuala Lumpur-Chennai.

A Eurowings, propriedade da Lufthansa, é, segundo a empresa responsável pelo estudo, uma das mais preparadas para um maior crescimento em 2018. Embora a companhia tenha falhado a aquisição da transportadora austríaca Niki (lançada pelo ex-piloto de Fórmula 1 Niki Lauda), a Lufthansa promete investir cerca de mil milhões de euros para crescer rapidamente este ano. Em dezembro de 2017 o grupo completou a compra da Luftfahrtgesellschaft Walter, ligada à Air Berlin, adicionando 33 aviões à sua frota.

A seguir surge a Wizz Air, companhia húngara que se concentra principalmente nos mercados da Europa Central e Oriental, mas que se expandiu constantemente para o oeste ao longo de 2017. Em junho desse ano, abriu uma nova base no aeroporto de Luton, Londres.

A Indian LCC SpiceJet encontra-se em sexto lugar, seguida da Beijing Capital Airlines, uma subsidiária da Hainan Airlines; da transportadora chinesa Shandong Airlines; da companhia de bandeira TAP Air Portugal; e finalmente da companhia aérea brasileira Avianca Bra