“Estou arrasado”. Falência dos restaurantes de Jamie Oliver põe em risco 1.300 empregos

A maior parte dos estabelecimentos afetados pertence à cadeia Jamie’s Italian, lançada em 2008. Segundo a BBC, estão em causa 25 restaurantes do referido cozinheiro.

O célebre ‘chef’ britânico Jamie Oliver anunciou hoje a falência dos seus restaurantes no Reino Unido, o que põe em risco 1.300 empregos.

A maior parte dos estabelecimentos afetados pertence à cadeia Jamie’s Italian, lançada em 2008. Segundo a BBC, estão em causa 25 restaurantes do referido cozinheiro.

“Estou arrasado pela falência dos nossos restaurantes no Reino Unido”, declarou o ‘chef’ no Twitter.

Em comunicado, Oliver agradeceu aos empregados e fornecedores pela sua entrega ao longo de mais de 10 anos de atividade.

Os ‘media’ britânicos noticiaram que os restaurantes em causa foram colocados sob administração judicial da KPMG, que vai tentar encontrar um ou mais compradores para toda ou parte da atividade. Caso isso não seja possível, os estabelecimentos fecham.

Jamie Oliver é uma figura dos meios culinários conhecido por vários programas de televisão e pela publicação de alguns livros.

No início de 2017, tinha já anunciado o encerramento de seis estabelecimentos da cadeia Jamie’s Italian no Reino Unido, justificando na altura que isso ocorria devido ao ‘Brexit’ (saída britânica da União Europeia), que levou a um aumento do preço dos ingredientes utilizados para os pratos italianos.

Ler mais
Relacionadas

Restaurantes de Jamie Oliver declaram insolvência e põem em risco mais de mil postos de trabalho

A consultora KPMG foi chamada para gerir os destinos do grupo, muito fragilizado financeiramente. Estão em risco mais de mil empregos. O famoso chef já reagiu: “Estou profundamente entristecido por este desfecho”.
Recomendadas

AHRESP: Setor de alojamento turístico com quebras na taxa de ocupação de mais 90%

A conclusão vem no inquérito mensal da AHRESP. Cerca de 36% das empresas refere ter registado uma quebra homóloga superior a 90% na taxa de ocupação.

Há mais interessados na compra da Efacec, segundo o Ministro da Economia

“Tivemos já novas manifestações de interesse além daquelas entidades que apresentaram propostas no processo que anteriormente estava em curso”, disse à Lusa Pedro Siza Vieira no ministério da Economia e da Transição Digital, em Lisboa.

AHRESP: Cerca de 60% dos clubes noturnos pondera declarar insolvência

“Resultados verdadeiramente alarmantes”, avança a AHRESP no último inquérito mental. No setor da restauração e bebidas, 43% das sociedades pretende requerer a este fim, dado que a a esmagadora maioria refere que não irá conseguir suportar os encargos habituais apartir do mês de agosto.
Comentários