Estudantes de Medicina reúnem-se no Porto para debater “saúde em Portugal e além-fronteiras”

O Congresso Nacional de Estudantes de Medicina realiza-se entre os dias 27 e 28 de outubro, no Centro de Congressos do Instituto Superior de Engenharia do Porto. O presidente da Associação Nacional de Estudantes de Medicina, Edgar Simões, disse ao Jornal Económico que “deve existir uma sensibilização precoce para o potencial da tecnologia ao serviço da medicina”.

Os estudantes de Medicina em Portugal vão reunir-se na cidade ‘Invicta’ para um debate sobre o estado da saúde no país e a nível internacional, trocando experiências sobre como podem contribuir para definir políticas mundiais e ajudar migrantes, por exemplo. O Congresso Nacional de Estudantes de Medicina (CNEM) realiza-se este fim de semana (27 e 28 de outubro), no Centro de Congressos do Instituto Superior de Engenharia do Porto, e irá juntar mais de 400 alunos, 17 oradores e 36 formadores.

Ao Jornal Económico, o presidente da Associação Nacional de Estudantes de Medicina, Edgar Simões, disse que “esta edição está fundamentalmente alicerçada em dois eixos: a saúde em Portugal e a saúde além-fronteiras”. “Pretendemos que os estudantes obtenham um conhecimento alargado da medicina nas várias vertentes e não apenas ligadas à clínica. Queremos que passem pela intervenção em contexto de catástrofe, investigação, inovação e tecnologia, genética, ética e humanização dos cuidados de saúde – ou seja: que se adquira uma visão holística, formativa e complementar dos cursos de medicina em Portugal”, afirmou.

Segundo a organização, as expectativas para este evento são grandes, dado que as inscrições terão esgotado “no primeiro minuto”. O porta-voz do encontro refere que o congresso estará focado na intervenção que qualquer estudante de medicina pode ter a nível internacional, nomeadamente na saúde global, dos migrantes, na definição de políticas de saúde mundiais, etc. Em declarações ao semanário, o dirigente associativo realçou que espera “acima de tudo que haja margem para o debate, a troca de vivências e de experiências, de visões e que se fomente um verdadeiro movimento estudantil que capacita as novas gerações para os desafios de um médico do século XXI”.

Em relação à importância das novas tecnologias neste ramo, Edgar Simões defende que deve existir uma “sensibilização precoce” para o potencial do digital na medicina e que deve fomentar-se “o uso de simulação e do uso de robótica na formação dos estudantes”. “Todos os dias há novos fármacos, técnicas, genes descobertos. A medicina tem hoje um conhecimento sólido nos livros e manuscritos e uma aplicação prática optimizada pela tecnologia, em crescente evolução, e é preciso que todos acompanhemos essa mudança”, expaudelicou.

Inovação na saúde será premiada

Questionado sobre os objetivos do CNEM Pitch – em que os participantes têm 90 segundos para, num formato “Shark Tank”, convencer o nosso painel de jurados de que a sua ideia merece investimento –, o presidente da Associação Nacional de Estudantes de Medicina disse que a iniciativa pretende dar voz à visão de um estudante. “Nem todos podem ser grandes revolucionários mas uma ideia revolucionária pode surgir em qualquer lado. É esse o desafio: que os participantes dêem a conhecer as suas ideias ou projetos originais e que o potencial, onde ele exista, possa ser amplificado.

O CNEM Pitch, que conta com o apoio do Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, irá premiar a ideia vencedora com 750 euros e receber aconselhamento profissional. “Terá ainda direito a um workshop de inovação oferecido pela Unilabs – Portugal e um estetoscópio oferecido pela Bacelar – Equipamentos Médicos”, acrescentou Edgar Simões.

Ler mais
Relacionadas

PremiumOrçamento do SNS vai crescer menos do que a economia em 2019

Nova ministra vai ter mais 523 milhões de euros no orçamento, mas as transferências para o Serviço Nacional de Saúde vão crescer apenas 2%. No bolo do sector está incluído o avanço nos processos de construção de cinco novos hospitais.

Mais de 20 hospitais com adesão à greve entre 60 e 100%

Mais de duas dezenas de hospitais de várias zonas do país estavam com uma adesão entre os 60% e os 100% no turno da noite devido à greve desta sexta-feira da função pública, segundo alguns dados da Frente Comum.

Sindicatos médicos contestam critério de redução de listas de utentes

Os sindicatos médicos consideram a proposta de Orçamento do Estado “meramente eleitoralista” e contestam que a redução da lista de utentes por médico de família fique dependente de 99% dos portugueses terem médico atribuído.
Recomendadas

Rui Patrício nomeado para Fundação Coleção Berardo após demissão de administrador do Estado

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, nomeou o advogado para a administração da fundação no seguimento da renúncia ao mandato de João Nuno Azevedo Neves. Demissão de administrador nomeado pelo Estado surge no âmbito do processo de guarda do arresto das cerca das 1.000 obras de arte José Berardo que estão no CCB , tal como noticiado nesta terça-feira, 17 de Setembro pelo Jornal Económico.

UTAO: Novo Banco atira défice para 0,8% do PIB no 1.º semestre

O valor estimado pela UTAO para o semestre fica aquém da meta do Governo para o conjunto do ano, de 0,2% do PIB, “sem, contudo, colocar em causa o seu cumprimento”, consideram os técnicos do parlamento.

Região norte é a que mais cresce no setor do turismo em Portugal

O Porto e norte de Portugal afirmou-se, durante o mês de Julho, como o destino que mais cresce na actividade turística no todo do contexto nacional. Dormidas totais registam aumento de perto de 12%,  o que corresponde a 1,1 milhões de dormidas.
Comentários