Estudo da Anacom indica rede da Vodafone como a melhor no Alentejo

O estudo da Anacom, que também considerou o desempenho das chamadas de voz e da utilização de dados móveis no Alentejo, foi realizado em maio de 2019, entre os dias 7 e 28, nos distritos de Portalegre, Évora e Beja, bem como em parte dos distritos de Santarém e Setúbal, num total de 58 municípios (correspondente a 34% da superfície do país).

A Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) tem em vista a divulgação de uma série de estudos sobre a qualidade das redes móveis em Portugal, tendo sido o primeiro divulgado na terça-feira. O estudo incidiu sobre a região do Alentejo, área onde a rede da Vodafone registou a primeira posição na quase totalidade dos indicadores definidos pelo regulador.

A Vodafone teve pior classificação nos itens “rácio de terminação de chamadas” e “nível de sinal GSM”, sendo superada pela Meo. O operador chefiado por Mário Vaz teve a melhor prestação nos indicadores  “tempo de estabelecimento de chamadas”, “qualidade de áudio”, “velocidade de transferência de dados”, “duração de transferência de página web”, “resolução de vídeo”, “qualidade de vídeo” ou “latência”, entre outros, a empresa atingiu a primeira posição.

“O operador Vodafone apresenta os melhores desempenhos, com ritmos médios de 34,10 megabytes por segundo (Mbps) e de 14,97 Mbps, respetivamente para download e upload, com diferenças estatisticamente significativas face aos restantes operadores”, lê-se no mesmo documento. A Meo registou “ritmos médios de 18,11 Mbps e de 9,10 Mbps, respetivamente para download e upload”, e a Nos de “15,83 Mbps e de 6,78 Mbps”, lê-se no estudo da Anacom no ponto relativo à velocidade de transferência de dados, por exemplo.

Já a NOS obteve a terceira posição na generalidade dos pârametros avaliados, ficando em alguns equiparada com a Meo.

A NOS ficou no terceiro lugar em dez critérios, nomeadamente no que respeita ao “tempo de estabelecimento de chamadas”, à “velocidade de transferência de dados”, à “duração das interrupções”, à “qualidade de vídeo” ou o nível de sinal nas diversas tecnologias de comunicações móveis – GSM (2G), UMTS (3G) e LTE (4G).

Apesar das diferentes classificações, verificando-se uma superioridade da Vodafone, o organismo liderado por João Cadete de Matos considerou que não se observou “diferenças expressivas entre os operadores ou entre as tipologias de áreas urbanas”, face ao serviço de voz em concreto. Já sobre transferência de dados, a Anacom registou “níveis adequados” por parte dos serviços dos operadores, sem “diferenças relevantes” tanto em download como em upload entre as empresas prestadoras de serviços.

O estudo da Anacom, que também considerou o desempenho das chamadas de voz e da utilização de dados móveis no Alentejo, foi realizado em maio de 2019, entre os dias 7 e 28, nos distritos de Portalegre, Évora e Beja, bem como em parte dos distritos de Santarém e Setúbal, num total de 58 municípios (correspondente a 34% da superfície do país). Os operadores foram avaliados em cerca de vinte parâmetros.

A análise da Anacom incidiu sobre “891 chamadas de voz, 5853 sessões de dados e 55.0597 medições de sinal rádio, correspondendo a aproximadamente 297 chamadas de voz, 325 sessões de dados e 61.200 medições de sinal rádio, por indicador e operador”.

Ler mais
Recomendadas

Novo Banco: ‘Mobile’ já é o maior ponto de contacto com os clientes

Segundo os dados apresentados por João Dias, chief digital officer do Novo Banco, até junho de 2019, 42% das interações entre os clientes particulares e o Novo Banco foram realizados através do mobile, contra 39% dos pontos de contacto realizados através do ATM, numa altura em que o Novo Banco ainda se assume como “um ATM junky”.

British Airways anuncia suspensão de todos os voos para a China

As companhias aéreas Lion Air, Cathay Pacific, Asiana, Jeju Air, Jin Air e Air Seoul também já anunciaram suspensão ou cancelamento de voos para território chinês por causa do coronavírus, que já matou 132 pessoas.

Santander lucra 6,5 mil milhões em 2019, menos 17% que em 2018

O banco espanhol apresentou resultados a caírem por causa dos custos extraordinários com a operação que tem no Reino Unido. Mas em Espanha os lucros subiram. O Santander Totta, em Portugal, contribuiu com 525 milhões de euros para o resultado líquido.
Comentários