Euribor mantêm-se a três meses e sobem a seis e 12 meses

As taxas Euribor mantiveram-se esta segunda-feira a três meses e subiram a seis e 12 meses em relação a sexta-feira.

As taxas Euribor mantiveram-se esta segunda-feira a três meses e subiram a seis e 12 meses em relação a sexta-feira.

A Euribor a três meses voltou hoje a ser fixada, pela nona sessão consecutiva, em -0,310%, contra o atual máximo desde julho registado pela primeira vez em 24 de janeiro (-0,306%) e o atual mínimo de sempre, de -0,332%, verificado pela primeira vez em 10 de abril de 2017.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação, subiu hoje para -0,231%, mais 0,001 pontos, contra o atual valor máximo desde julho, de -0,227%, registado em 27 de março, e o atual mínimo de sempre, de -0,279%, verificado pela primeira vez em 31 de janeiro de 2018.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor foi hoje fixada em -0,111%, mais 0,001 pontos, contra o atual máximo desde julho, de -0,108%, verificado pela primeira vez em 06 de fevereiro, e o atual mínimo de sempre, de -0,194%, atingido pela primeira vez em 18 de dezembro de 2017.

As taxas Euribor a três, a seis e a 12 meses entraram em terreno negativo em 2015, em 21 de abril, 06 de novembro e 05 de fevereiro, respetivamente.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

Ler mais
Recomendadas

Investigação ao “apagão fiscal” parada há 19 meses

“Intolerável”, diz Ana Gomes numa carta à PGR, alertando que o inquérito a transferências de 10 mil milhões “não avançou absolutamente nada”.

Portugal negoceia com Brasil venda de leite dos Açores

O secretário de Estado da Internacionalização português afirmou hoje à Lusa que está a negociar com o Brasil medidas que permitam a exportação de leite dos Açores para aquele mercado.

Vistos Gold: Investimento chinês cai 41% para 60 milhões de euros no 1.º trimestre

O investimento oriundo da China captado através dos ‘Vistos Gold’ caiu 41% no primeiro trimestre, face a igual período de 2018, para 59,6 milhões de euros, segundo dados estatísticos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).
Comentários