EuroAtlantic está a ser vendida por 116 milhões de euros

A EuroAtlantic é detida por Tomaz Metello, que tinha 35% da empresa e que há um ano adquiriu ao grupo Pestana os restantes 65%, ficando com a totalidade do capital, num negócio acompanhado pelo banco Haitong.

A transportadora aérea portuguesa EuroAtlantic está à venda e o negócio deverá ser concluído até ao final de setembro, por um valor de 116 milhões de euros, apurou o Jornal Económico juntos de fontes do mercado.

A EuroAtlantic é detida por Tomaz Metello, que tinha 35% da empresa e que há um ano adquiriu ao grupo Pestana os restantes 65%, ficando com a totalidade do capital, num negócio acompanhado pelo banco Haitong.

A EuroAtlantic é uma empresa de aviação comercial internacional regular e não-regular, registada em Portugal, com sede em Sintra e operação no aeroporto de Lisboa.

Metello, que é fundador e presidente da companhia, confirmou ao jornal Publituris que a EuroAtlatic se encontra em processo de venda e que poderá ter um novo investidor até ao final deste mês.

Aquele responsável esclareceu que a companhia não vai para bolsa, mas deverá ficar num investidor “que está interessado”, acrescentando que se trata de “uma organização, que tem também uma companhia de aviação”.

Há um ano, Tomaz Metello apontava como cenário futuro colocar a EuroAtlantic em bolsa a partir deste ano, dispersando entre 25% e 45% na AIM de Londres.

A euroAtlantic foi fundada a 25 de agosto de 1993, com o nome de Air Zarco e a marca comercial de Air Madeira, até 17 de maio de 2000, quando foi alterada para EuroAtlantic Airways.

Conta na sua frota com oito aviões Boeing (seis B767-300ER, um B777-200ER, um B737-800NG) e um Cessna Citation CJ3, este apenas para voos executivos privados.

Ler mais
Relacionadas

Eugénio Fernandes é o novo CEO da euroAtlantic

O gestor sucede a Luís Bandeira na transportadora fundada por Tomaz Metello, que também desempenha a função de charmain.
Recomendadas

Lucros da Semapa sobem quase 7% para mais de 130 milhões de euros

Os lucros atribuíveis aos acionistas atingiu os 132,6 milhões de euros, o que, face a 2017, representa um aumento de 6,8%. Entre os diferentes segmentos de negócio, foi a pasta e papel foi que mais contribuiu para o crescimento do EBITDA da holding, com 455,2 milhões de euros, o que representa um crescimento de 12,7% face a 2017.

Siderurgia Nacional afirma que nada na sua produção justifica poluição em Paio Pires

O diretor de relações institucionais da Siderurgia Nacional (SN-Seixal) afirmou hoje que não ocorreu nada de “anormal” no processo produtivo da empresa que justifique as poeiras negras e brancas na Aldeia de Paio Pires, no Seixal, distrito de Setúbal.

Donos da Herdade das Servas investem nos vinhos verdes

Irmãos Serrano Mira adquirem solar erguido em 1540 pelo poeta e humanista Francisco Sá de Miranda.
Comentários