EuroBic diz que venda ao Abanca permite continuar “crescimento e solidez”

“A concretização desta operação permitirá ao EuroBic continuar no seu caminho de crescimento e solidez”, lê-se no comunicado disponível no ‘site’ do banco na Internet.

O EuroBic disse hoje em comunicado que a venda de 95% do seu capital ao grupo espanhol Abanca permite que continue o “caminho de crescimento e solidez” e que será uma “excelente operação” para os clientes.

“A concretização desta operação permitirá ao EuroBic continuar no seu caminho de crescimento e solidez”, lê-se no comunicado disponível no ‘site’ do banco na Internet.

O comunicado inclui ainda uma nota aos colaboradores e aos clientes, considerando que “a competência e dedicação que os colaboradores do EuroBic sempre revelaram, permitirão que esta seja, também, uma excelente operação para os clientes”.

O EuroBic recorda ainda as entidades que o Abanca comprou nos últimos anos para considerar que este as tem integrado “com sucesso”.

A informação é semelhante àquela que hoje de manhã divulgou o Abanca, de que acionistas detentores de 95% do capital do Eurobic acordaram vender ações ao Abanca, e que o negócio precisa das autorizações dos reguladores e já foi comunicado ao Banco de Portugal.

O EuroBic – cujo principal acionista é Isabel dos Santos, com 42,5% do capital – tinha, no final de dezembro, 1.482 trabalhadores, 184 agências e 266.670 clientes, segundo o comunicado.

O seu volume de negócios era de 11.700 milhões de euros, tendo em balanço 5.199 milhões de euros em crédito e 6.148 milhões de euros em depósitos.

O crédito vencido, segundo o banco, estava em final de dezembro em 151 milhões de euros (taxa de crédito vencido de 2,9%) e os ativos não produtivos em 334 milhões de euros (taxa de ativos não produtivos de 6,4%).

Já o Abanca, refere o mesmo comunicado, é a “sétima entidade espanhola por fundos próprios e a entidade financeira líder do setor no noroeste da Península Ibérica”, tendo 800 agências em 12 países da Europa e continente americano e mais de 6.000 trabalhadores.

O volume de negócios do Abanca é de 85.079 milhões de euros, tendo 36.792 milhões em créditos e 48.286 milhões em recursos de clientes.

O grupo Abanca fechou 2019 com lucros de 405 milhões de euros com uma rentabilidade (ROE) que alcançou os 10%.

Em Portugal, o Abanca tem 70 agências, 500 colaboradores e mais de 80.000 clientes.

O presidente do espanhol Abanca, Juan Carlos Escotet, congratulou-se hoje pelo “sentido estratégico” da compra do EuroBic, considerando que “reforça a aposta ibérica” da entidade financeira espanhola e “permite dar um salto importante em volume de negócios, porque possibilita a incorporação de mais de 11 mil milhões de euros” à faturação atual do grupo Abanca.

Em declarações aos jornalistas numa quinta que a família tem em Pontevedra, Galiza, Juan Carlos Escotet afirmou ainda que a compra significa que o grupo bancário alcança um volume de negócios total “de mais de 100 mil milhões de euros”, que considera ser o “mínimo de escala para assegurar rentabilidade e sustentabilidade”.

O banco espanhol comprou em 2018, em Portugal, a unidade de banca de retalho do Deutsche Bank (DB PCB) e, em Espanha, à Caixa Geral de Depósitos a sua filial, o Banco Caixa Geral.

Em 22 de janeiro último foi anunciado que a empresária Isabel dos Santos iria abandonar a estrutura acionista do EuroBic, uma medida para “salvaguardar a confiança na instituição”, referia o banco, após a divulgação de documentos de uma investigação jornalística, num caso designado de ‘Luanda Leaks’.

Ler mais
Recomendadas

Banco de Portugal salienta que as moratórias públicas ou privadas devem ser tratadas da mesma forma

O Banco de Portugal destaca que a segundo esclareceu a EBA, as moratórias, de iniciativa pública ou privada, devem ser tratadas da mesma forma, desde que tenham um propósito e caraterísticas semelhantes. “A EBA definirá, em breve, quais os critérios a observar para o efeito”, diz a entidade de supervisão.

BPI alarga moratórias para famílias e empresas com carência de capital entre seis a doze meses

A partir de segunda-feira, os clientes que estejam em situação regular com o BPI poderão beneficiar do alargamento do regime da moratória publica junto do banco, que prevê dar carências de capital entre seis e doze meses.

Vírus atrasa auditoria ao Novo Banco

A conclusão da auditoria da Deloitte deverá derrapar para lá de 31 de maio.
Comentários