Eurodeputados dão luz ‘verde’ à nomeação de Christine Lagarde para liderar BCE

Este é o aval final, sendo que o nome de Christine Lagarde já tinha tido ‘luz verde’ da comissão parlamentar dos Assuntos Económicos e Monetários.

O Parlamento Europeu aprovou esta terça-feira, por maioria, a nomeação de Christine Lagarde para presidente do Banco Central Europeu (BCE), que sucede a Mario Draghi, sendo este o aval final para a tomada de posse, prevista para 01 de novembro.

A votação decorreu na sessão plenária da assembleia europeia, na cidade francesa de Estrasburgo, e foi feita por escrutínio secreto, num total de 394 votos a favor, 206 contra e 49 abstenções.

Este é o aval final, sendo que o nome de Christine Lagarde já tinha tido ‘luz verde’ da comissão parlamentar dos Assuntos Económicos e Monetários, que ouviu a responsável no início deste mês, com estes eurodeputados a recomendarem, nessa altura, que o plenário do Parlamento Europeu desse parecer favorável à nomeação para a presidência do BCE.

Christine Lagarde será a primeira mulher a assumir a presidência do BCE, depois de ter sido também a primeira mulher na liderança do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Foi, inclusive, por estar numa reunião do FMI, em Washington, nos Estados Unidos, que Christine Lagarde não esteve presente hoje na sessão plenária do Parlamento Europeu. Antes da votação, os eurodeputados estiveram a debater a nomeação.

A nova presidente sucede a Mario Draghi, que deixa o cargo no dia 31 de outubro, devendo tomar posse no dia 01 de novembro.

O presidente do BCE é nomeado pelo Conselho Europeu (onde estão representados os chefes de Estado e de Governo da UE).

A nomeação tem de ser deliberada por maioria qualificada por recomendação do Conselho da UE e após consulta ao Parlamento Europeu e ao Conselho do BCE, como previsto no tratado sobre o funcionamento da UE.

O mandato tem uma duração de oito anos, não renováveis.

Ler mais

Relacionadas

Mercados exigem ‘Super Mario’, mas Draghi enfrenta obstáculos no jogo final

A reunião do Banco Central Europeu esta quinta-feira vem no final do mandato do italiano e poderá ser uma das mais dramáticas. Os mercados pedem um pacote alargado de estímulos, mas Mario Draghi poderá desiludir, pois os ‘falcões’ não querem reabrir o programa de compra líquida de ativos.

Christine Lagarde sai na quinta-feira do FMI para suceder a Draghi no Banco Central Europeu

Christine Lagarde assumirá a presidência do BCE a 1 de novembro próximo, para um mandato de oito anos.
Recomendadas

Wall Street negoceia no vermelho contagiado pelos receios das congéneres europeias devido ao coronavírus

O Dow Jones perde 2,65%, para 28.223,53 pontos, o S&P 500 cai 2,56%, para 3.253,47 pontos, e o Nasdaq desvaloriza 2,89%, para 9.297,77 pontos.

Coronavírus: Petróleo negoceia em queda devido a riscos de propagação da epidemia

Cerca das 11:55 (hora de Lisboa) o barril de Brent do mar do Norte para entrega em abril negociava a 56,05 dólares no mercado de Londres, uma descida de 4,19% em relação ao preço de encerramento na sexta-feira.

Coronavírus coloca Wall Street à defesa

É expectável que exista uma resposta, talvez mesmo coordenada, de vários países e autoridades monetárias, o que poderá vir a suportar o mercado.
Comentários