Ex-gestor da CGD, BFA e Sonangol entra na administração da Mota-Engil

O novo administrador da Mota-Engil Emídio José Bebiano e Moura da Costa Pinheiro foi administrador do Banco Fomento de Angola, da Caixa e, depois, da Sonangol Holdings e Indústria.

Mario Proenca/Bloomberg

A Mota-Engil comunicou ao mercado que, na sequência de António Ferreira de Oliveira ter apresentado, a 31 de janeiro, a renúncia ao cargo de vogal do conselho de administração, foi deliberado cooptar para vogal, e para o mandato em curso (2018-2021), Emídio José Bebiano e Moura da Costa Pinheiro. Esta cooptação ocorreu em reunião de 12 de fevereiro do conselho de administração.

O economista português fez parte do conselho de administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) até 2016, por convite do então presidente executivo do banco público António Domingues. Emídio Pinheiro saiu ao mesmo tempo que António Domingues da CGD.

O ex-presidente da comissão executiva do Banco de Fomento de Angola (BFA) e ex-administrador da CGD, assumiu em 2017 a gestão da Sonangol Holdings e Indústria, como administrador.

Emídio Pinheiro esteve 11 anos na administração do BFA e saiu para ir com António Domingues (que vinha do BPI) para a CGD.

Recomendadas

Associações da construção debatem nova lei dos vistos

Nesta iniciativa estão previstas intervenções do secretários de Estado da Internacionalização e da Administração Interna, respetivamente, Eurico Brilhante Dias e Patrícia Gaspar.

Confederação da Construção rejeita responsabilidades sobre atrasos no Ferrovia 2020

CPCI contra-ataca,dizendo que os atrasos se devem antes à atitude de sucessivos Governos, “que demonstraram incapacidade de planear e cumprir os planos de investimento a bem da salvaguarda do défice”.

Secil com expetativas positivas para 2020 no setor do cimento

De acordo com as estatísticas, o mercado de cimentos em Portugal em 2019 terá crescido cerca de 15% comparativamente ao período homólogo.
Comentários