Ex-procuradora-geral da República diz que “juízes têm que estar bem assessorados”

Joana Marques Vidal referiu-se a resistências dos juizes em contar com ajuda de especialistas e aos tribunais em que é sempre a mesma pessoa a julgar.

Cristina Bernardo

A ex-procuradora-geral da República Joana Marques Vidal disse nesta segunda-feira que os juízes “têm que estar bem assessorados” por assessores especializados que lhes expliquem o funcionamento das matérias que estão em causa nos processos.

”Esses assessores não estão lá para julgarem no lugar dos juizes, mas sim para os ajudarem a julgar”, salientou Joana Marques Vidal no debate “A Corrupção e Autonomia do Ministério Público”, que fez com o jornalista Luís Rosa nas instalações da SEDES.

Apesar disso, a ex-procuradora-geral admitiu que os juizes ainda têm alguma resistência a recorrer a especialistas que lhes permitam entender melhor certas matérias.

Marques Vidal também exprimiu reservas quanto ao facto de “ser sempre a mesma pessoa a julgar”, como sucede no Tribunal Central de Instrução Criminal, em que Carlos Alexandre foi durante muito tempo o único juiz titular, juntando-se-lhe mais recentemente Ivo Rosa.

Relacionadas

Joana Marques Vidal diz que magistrados já têm regras e sindicâncias de auto-regulação

Referindo-se à violação do segredo de justiça, Joana Marques Vidal disse que “os jornalistas não publicam tudo o que sabem, pois têm algum cuidado”.

Joana Marques Vidal quer estratégia nacional contra a corrupcão

Ex-procuradora-geral da República, que foi à SEDES falar sobre autonomia do Ministério Público, salientou que a corrupção “põe em causa a confiança dos cidadãos nas suas estruturas políticas e por isso põe em causa em democracia”.

Ex-procuradora-geral da República critica proposta socialista de dar autonomia financeira à PGR

Joana Marques Vidal diz que proposta pode pôr em causa recursos necessários para levar a cabo investigações de crimes de elevada complexidade.
Recomendadas

Marisa Matias: “Agora parece que vale tudo para ter maiorias absolutas”

Eurodeputada reagiu às declarações do primeiro-ministro sobre o Bloco de Esquerda. Catarina Martins, que retweetou a publicação de Marisa Matias, também já deixou o recado: “os partidos políticos ganham em respeitar-se”.

Legislativas: Bloco de Esquerda volta a propor ‘taxa Robles’

Taxa penalizadora de especulação imobiliária chegou a ser discutida com o Governo em setembro, mas não foi viabilizada. Bloco de Esquerda resgata proposta para as legislativas de 6 de outubro e avança agora com detalhas sobre os valores de tributação.

António Costa: “Um cenário à espanhola, com um PS fraco e o nosso ‘Podemos’ forte, inviabilizaria a estabilidade”

Questionado se admite governar sem acordos na próxima legislatura, o secretário-geral do PS não admitiu, nem descartou o cenário, preferindo “não especular”, mas disse “quem tem melhores ferramentas trabalha melhor, quem tem piores ferramentas trabalha pior”.
Comentários