Grupo espanhol Disa compra Prio

O grupo espanhol Disa, venceu a corrida à compra da Prio e assinou na quarta-feira um acordo para a aquisição da rede de 247 estações de serviço da gasolineira da Oxy Capital, mas também o terminal de armazenamento e a fábrica de biodiesel, localizados em Aveiro, apurou o JE.

O grupo espanhol Disa assinou na quarta-feira à noite, um acordo para a compra da gasolineira Prio, detida pela Oxy Capital e liderada por Pedro Moais Leitão, apurou o Jornal Económico.

Concretamente o grupo Disa compra uma rede de 247 estações de serviço, o terminal de armazenamento e a fábrica de biodiesel, localizados em Aveiro.

Não foi possível saber o valor acordado de venda.

A concretização do negócio está dependente das autorizações do regulador da concorrência e outros que se lhe apliquem.

O closing da venda, isto é, o pagamento e transmissão das ações, está previsto até ao fim do ano.

Segundo apurou o Jornal Económico o Grupo Disa terá acordado garantir a continuidade da gestão, pelo que, a confirmar-se Pedro Morais Leitão deverá continuar como presidente. Mas não foi possível confirmar.

O Grupo Disa é o quarto maior operador de combustíveis em Espanha, com mais de 600 pontos de venda. A compra da Prio é a ampliação da expansão no país vizinho.

A sociedade Oxy Capital controla a Prio SGPS desde 2013 e desde o início do ano que desencadeou formalmente o processo de venda, tendo contratado para o efeito o banco de investimento Lazard.

 

Ler mais
Recomendadas

Marques Mendes diz que CGD liderará sindicato bancário para financiar o Novo Banco

Luís Marques Mendes, revelou este domingo que a injeção do Fundo de Resolução no Novo Banco vai ser possível através do empréstimo de um sindicato bancário, que será liderado pela CGD. O comentador revelou que não houve qualquer conversa entre o BCP e o Governo para uma fusão com o Montepio. O JE confirmou que Miguel Maya não falou com João Leão sobre uma integração do Banco Montepio.

Premium“Construtoras nacionais apenas ficam com 20% das obras públicas”, diz bastonário da Ordem dos Engenheiros

O desinvestimento em pessoas e equipamentos ao longo dos últimos anos foi tão grande que apenas 20% das obras públicas lançadas ficam em empresas portuguesas, afirma Carlos Mineiro Aires.

Miguel Albuquerque diz que “a Madeira vai ultrapassar efeitos devastadores no turismo”

O presidente do Governo da Madeira mostrou-se este domingo convicto de que a região vai conseguir superar “mais este grande desafio” dos “efeitos devastadores” no setor do turismo provocado pela pandemia da covid-19.
Comentários