Executivos procuram equilíbrio entre vida profissional e pessoal após pandemia

O estudo indica que os executivos têm planos para o regresso ao trabalho regular, optando por fazer mais exercício físico e passar mais tempo com a família e amigos.

A pandemia da Covid-19 levou a que a maioria dos postos de trabalho fossem desempenhados a partir das casas de cada um, e os executivos não foram exceção. De acordo com um estudo da seguradora de saúde Bupa Global, citado pela “Reuters”, oito em cada dez executivos apresentaram problemas de saúde mental durante a crise pandémica.

Alguns executivos que apresentaram evidências de problemas de saúde mentais reavaliaram as suas posições e no regresso vão tentar melhorar o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Entre os mais propícios a alterar as suas vidas encontram-se os executivos de França e do Egito, seguidos pelos Emirados Árabes Unidos, Estados Unidos e Reino Unido.

A crise pandémica abrandou muitos negócios, depois dos governos imporem medidas restritas para conter a propagação do vírus nos seus países, afetando a saúde mental a pessoas que foram obrigadas a reduzir horários e que perderam o emprego. O estudo indica que os executivos têm planos para o regresso ao trabalho regular, optando por fazer mais exercício físico e passar mais tempo com a família e amigos.

“Com a pandemia a afetar a saúde mental de forma tão intensa, é realmente importante que os líderes empresariais trabalhem para abordar quaisquer problemas nas suas organizações”, apontou Luke James, diretor médico da Bupa Global. Os participantes do estudo indicaram que pretendem continuar a trabalhar em casa, bem como reduzir as horas de trabalho.

O mesmo estudo aponta que as mulheres são mais propensas a adotar o teletrabalho, embora quem tenha filhos optasse por regressar ao local de trabalho mais rápido. “Qualquer pessoa que tenha trabalhado em casa com crianças pequenas ou tentando conciliar o trabalho e educação em casa, sabe que isso pode ser um desafio”, disse o diretor responsável pelo estudo, Sheldon Kenton.

Recomendadas

MUBi defende que Estado deve fazer “Investimento significativo” na mobilidade

Segundo a nota de imprensa, em linha com a recomendação da Assembleia da República ao Governo, a MOBi considera “essencial a priorização e aceleração da execução da Estratégia Nacional para a Mobilidade Activa Ciclável 2020-2030 (ENMAC 2020-2030) e da prossecução dos seus objetivos, em resposta à crise da pandemia de covid-19”.

Portugal regista mais 4.007 casos e 39 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas

As autoridades sanitárias contabilizaram mais 2.831 altas nas últimas 24 horas, elevando para 80.280 o número total de pessoas livres do vírus.

Novo surto em lar do concelho do Fundão com 30 infetados

Segundo o comunicado, os utentes que testaram positivo estão assintomáticos e não inspiram cuidados de saúde especiais encontram-se numa área separada dos restantes utentes.
Comentários