Exportações da fileira Metal Portugal atingem terceiro melhor resultado de sempre em setembro

Os responsáveis da AIMMAP prevêem que este ritmo positivo continuará nos meses de outubro e novembro, apontando para uma perda de 10 a 12% no final do ano.

As exportações da fileira industrial Metal Portugal atingiram o 3º melhor resultado de sempre em setembro ao nível das exportações, com um total de 1.748 milhões de euros, o que representou um aumento de 2% face ao período homólogo.

“Este valor acaba por ser tão mais significativo pelo facto de o país em grande parte do tempo estar a tentar controlar a segunda vaga da pandemia de Covid-19”, realça um comunicado do Metal Portugal.

Desta forma, a AIMMAP anunciou que o 3.º melhor resultado de sempre alcançado no passado mês de setembro com as exportações “vem no seguimento de uma recuperação constante do setor do metal que, devido à pandemia da Covid-19, teve um decréscimo de 17,4% nos três primeiros trimestres de 2020 face a 2019”.

“Este decréscimo deveu-se essencialmente à quebra sentida nos mercados mais afetados pela pandemia da Covid-19 como a Itália (-34%), Reino Unido (-31%) e Alemanha (-22%). No entanto, em sentido contrário, alguns mercados, como o Japão, Turquia ou Suécia, têm compensado esta queda nos mercados e acabaram por fazer com que a recuperação do Metal Portugal seja uma realidade já com dois meses em terreno positivo, agosto e setembro”, explica um comunicado da AIMMAP.

O mesmo documento acrescenta que “a recuperação do mercado sentida neste mês de setembro deveu-se,  em grande parte, ao grande crescimento das exportações do ‘cluster’ automóvel”.

“No entanto, o esforço dos diversos subsetores do Metal Portugal em repor alguma normalidade no setor, conduziu a um crescimento de 3% nas exportações para a União Europeia, comparativamente com o mês anterior”, adianta o referido comunicado.

Para Rafael Campos Pereira, vice-presidente da AIMMAP, “este resultado histórico do setor no que diz respeito às exportações mostra a resiliência das empresas portuguesas em repor aquilo que foi perdido durante este ano, bem como a sua adaptabilidade aos tempos em que vivemos, com a capacitação destas empresas em corresponder às várias necessidades de mercado sentidas”.

“Este ritmo positivo é algo que prevemos que continuará nos meses de outubro e novembro pelo que apontamos para uma perda de 10 a 12% no final do ano. Esta recuperação será feita gradualmente, mas ainda há um longo caminho a percorrer para as empresas do Metal Portugal para atingir os resultados de anos anteriores”, alerta este responsável.

Ler mais
Recomendadas

Governo já pagou 268 milhões de euros às empresas através do programa Apoiar.pt

“Temos, no acumulado da primeira e da segunda tranche, cerca de 268 milhões de euros pagos”, afirmou João Neves.

Supremo confirma prisão do antigo presidente do Banco Privado

A pena de prisão efetiva de João Rendeiro só se vai concretizar após trânsito em julgado. O antigo presidente do Banco Privado Português (BPP) foi condenado a cinco anos e oito meses de prisão por vários crimes de falsidade informática e falsificação de documentos.

‘Intelligent edge’ é a próxima revolução no mundo dos negócios

Ao trazer poderosos recursos de computação para mais perto de onde os dados são originados e precisam de ser consumidos, este salto tecnológico liberta todo o potencial para acelerar a 4ª Revolução Industrial.
Comentários