Faculdades da Católica no Porto com novos diretores

Na Universidade Católica Portuguesa no Porto, 2021 começa com novas lideranças. Paula Castro, docente e investigadora é a nova diretora da Escola Superior de Biotecnologia, sucedendo a Isabel Vasconcelos

Na Universidade Católica Portuguesa no Porto, 2021 começa com novas lideranças. Paula Castro, docente e investigadora é a nova diretora da Escola Superior de Biotecnologia, sucedendo a Isabel Vasconcelos. Aposta num mandato pautado pela “capitalização de tudo o que já foi conquistado” e quer “alavancar novas condições para a formação, que passem pela construção de uma real internacionalização da formação, e reinventar a ligação da Escola à comunidade e à rede ‘alumni’”.

À frente da Faculdade de Educação e Psicologia está Raquel Matos. A até agora também docente e investigadora na mesma faculdade quer estimular o trabalho em cooperação, através de pontes com todas as unidades académicas, para criar uma nova oferta formativa, bem como novos projetos e eventos. Nuno Crespo vê-se reconduzido na liderança da Escola das Artes. No topo das suas prioridades está agora “aumentar o dinamismo e o reconhecimento da Escola”, continuando “a reinventar o modelo de ensino, a estimular novos modelos de ensinar e de aprender”.

Recomendadas

Banco Central Europeu quer banca cada vez mais verde

O BCE irá também desenvolver novos “indicadores experimentais para contemplar instrumentos financeiros ecológicos pertinentes e a pegada de carbono das instituições financeiras, bem como a exposição das mesmas a riscos físicos relacionados com o clima”.

Reatia, a startup de Leiria que juntou algoritmos à venda de casas

“Somos uma startup de Leiria e, por isso, a nossa sede continua a ser, orgulhosamente, nesta cidade”. É desta forma que o empreendedor português Hugo Venâncio, que em 2019 fundou a tecnológica Reatia, começa por explicar ao Jornal Económico (JE) que as raízes da Beira Litoral não se perdem apesar das provas que esta empresa […]

Investimento sustentável é oportunidade para alinhar finanças e política

Os emitentes portugueses de dívida verde consideram que a emergência da preocupação com critérios ESG (sigla em inglês para ambiental, social e de governança) e a promoção do investimento sustentável, mais do que uma obrigação imposta pelo contexto, é uma oportunidade para as empresas alinharem a sua estrutura financeira com a própria natureza da organização […]
Comentários