Farmacêutica Boehringer Ingelheim traz para Portugal programa de estágio “BI our Talent”

O programa vai integrar na estrutura da farmacêutica alemã seis estagiários de formações muito diferentes já no dia 1 de fevereiro.

A farmacêutica de raiz alemã Boehringer Ingelheim anunciou a integração de seis estagiários na sua estrutura portuguesa no âmbito do programa “BI our Talent”, que tem início previsto para 1 de fevereiro.

“Este programa de estágio tem o intuito de apoiar jovens talentos e dar-lhes uma oportunidade de ganhar experiência e conhecimento com profissionais de excelência, mas também porque acreditamos nas mais-valias que estes nos trazem”, explica Alda Pereira, diretora de Recursos Humanos, da empresa.

O programa, lançado este ano em Portugal, visa “promover talentos”, o “trabalho em equipa” e “potenciar as competências profissionais” dos recém-formados. Os selecionados têm formação em áreas que vão das Ciências Farmacêuticas, até à Contabilidade, passando pelo Marketing, Gestão e Ciências Biomédicas.

O programa será implementado anualmente, nas unidades de negócio de Saúde Humana e Saúde Animal, nos departamentos de Marketing, Medicina, Market Access e Financeiro/Recursos Humanos da multinacional.

“Estes jovens recém-formados terão, assim, a oportunidade de trabalhar com profissionais de excelência, com muito conhecimento e experiência para partilhar, integrando uma das maiores empresas farmacêuticas do mundo, que centra a sua atividade na investigação para a melhoria da saúde humana e animal”, destaca a farmacêutica em comunicado.

A Boehringer Ingelheim, empresa familiar de capitais privados, é uma das 20 principais empresas farmacêuticas do mundo, empregando cerca de 51 mil colaboradores, que geram valor através da inovação, nas áreas de medicina humana, veterinária e contratos de produção biofarmacêutica. Em 2019, a empresa atingiu vendas líquidas na ordem 19 mil milhões de euros. O investimento em Investigação e Desenvolvimento corresponde a 18% das vendas.

Ler mais
Recomendadas

Ministro da Educação: “A nossa prioridade é voltar à escola”

No Parlamento, Tiago Brandão Rodrigues voltou a defender esta quarta-feira, que as escolas são locais seguros, mas não avançou data para o regresso. Revelou que nos testes a três mil alunos do secundário e funcionários antes da interrupção letiva nos concelhos de risco, foram detetados 25 casos de Covid-19.

Professores portugueses para escolas timorenses devem chegar em março

Os 108 professores juntam-se a outros 33 que já estão em Timor-Leste, destacados nos Centros de Aprendizagem e Formação Escolar (CAFE), um projeto luso-timorense para a requalificação do ensino timorense em língua portuguesa.

Alunos regressam esta segunda-feira ao ensino a distância

As escolas tanto públicas como privadas, alteraram alguns procedimentos e estão, no geral, mais bem preparados, mas os diretores e os sindicatos de professores admitem que os problemas estão longe de resolvidos. Computadores e dificuldades no acesso à internet na lista do que está em falta.
Comentários