FC Barcelona inicia negociações para reduzir despesas e aliviar impacto negativo de 200 milhões de euros

Entre os primeiros planos apresentados pela direção do FC Barcelona está a colocação dos atuais trabalhadores não-desportivos do clube sob um reajuste temporário do salário, o adiamento das contribuições para fundos de pensão e a mudança nos prémios sobre o sucesso desportivo.

Depois da direção do FC Barcelona ter anunciado que pretendia cortar despesas avaliadas em 200 milhões de euros para “salvar uma temporada que será afetada na sua totalidade”, as negociações tiveram início com o sindicato que representam os trabalhadores, ao qual se juntou a comissão de trabalhadores, segundo o portal “Palco 23”.

O clube do catalão pretende cortar despesas avaliadas em 200 milhões de euros na atual temporada. Na negociação, iniciada ontem, o clube propõe reajustes temporários nas áreas onde a pandemia obrigará a parar.

Entre os primeiros planos apresentados pela direção do FC Barcelona está a colocação dos atuais trabalhadores não-desportivos do clube sob um reajuste temporário do salário, o adiamento das contribuições para fundos de pensão e a mudança nos prémios sobre o sucesso desportivo.

À comissão dos trabalhadores, o clube justifica que precisa de cortar 200 milhões de euros para salvar “uma temporada que será afetada na sua totalidade”, ao qual acrescentam que as estimativas apontam para uma “queda nas receitas em mais de 30%, o que obriga a encontrar soluções imediatas”.

Ao contrário do que aconteceu em março deste ano, no âmbito do estado de emergência decretado em Espanha pela pandemia de Covid-19, o Barça propôs uma redução salarial temporária com menos impacto entre os seus trabalhadores. Levando em consideração que o clube parte do pressuposto de que o problema não está no quadro corporativo, a proposta inicial do Barça é incluir menos de metade dos trabalhadores neste regime, segundo fontes próximas à negociação consultadas pelo “Palco23”.

Sobre a mesa, que deve ser concluída o mais tardar no dia 5 de novembro, está também a possibilidade de realizar suspensões temporárias dos contratos de trabalho, embora isso só seja feito nas áreas onde a pandemia obrigou a cessar a atividade. Por exemplo, caso o Camp Nou continue a proibir a entrada do público, os trabalhadores da bilheteira podem estar incluídos nesta medida.

Outra das conclusões obtidas por ambas as partes na reunião recai sobre a necessidade de reduzir despesas da equipa principal, em concreto nos salários milionários dos jogadores. Algo que não será fácil, pelo clima de instabilidade que se vive no clube catalão entre jogadores e direção, sublinhado pela polémica que envolveu a possível saída de Lionel Messi do clube.

Ler mais
Recomendadas

De Bruno a João. Portugueses dominam maiores valorizações do CIES em novembro

Um em cada três jogadores que mais valorizaram o valor do seu passe futebolístico em novembro é português, de acordo com o CIES – Observatório do Futebol. Saiba quanto valorizaram os cinco jogadores portugueses presentes no Top 15.

Adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio vai custar 1,6 mil milhões de euros

De acordo com o jornal japonês “Yomiuri”, a estimativa inclui o custo de pessoal vinculado ao adiamento e à introdução de novos sistemas de reembolso de bilhetes, mas não estão incluídas medidas contra a disseminação do novo coronavírus.

Mediapro expande modelo de eSports para Portugal

O grupo Mediapro ficará a cargo da produção da eLiga Portugal – competição oficial de Fifa 21, organizada pela Liga Portugal sob a supervisão da Electronic Arts (EA), empresa que produz o videojogo. A eLiga Portugal conta com a participação de 17 das 18 equipas que integram a a primeira divisão portuguesa do futebol (Liga NOS).
Comentários