FCT distingue trabalhos de investigação que utilizam a informação do Arquivo.pt

Prazo de candidaturas prolonga-se até 4 de maio. Podem concorrer trabalhos de investigação inovadores em qualquer área do conhecimento, da educação, à história, passando pela informática.

Estão abertas até 4 de maio as candidaturas ao Prémio Arquivo.pt 2021, serviço gerido pela Unidade de Computação Científica Nacional da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). Podem concorrer trabalhos de investigação inovadores que utilizam a informação preservada por este serviço de interesse público.

Com periodicidade anual, o Prémio Arquivo.pt tem como objetivo fomentar aplicações práticas ou estudos completos de investigação baseados na informação acessível através do Arquivo.pt, que demonstrem a utilidade deste serviço público e a importância de preservar a informação publicada na web.

Os trabalhos podem incidir sobre temas de qualquer área, da Educação, à História, passando pela Sociologia, Comunicação, Saúde e Informática, desde que o autor tenha recorrido ao Arquivo.pt como principal fonte de informação.

O prémio insere-se ainda no âmbito do eixo da investigação do programa INCode.2030 que procura garantir as condições para a produção de novos conhecimentos e a participação ativa em redes e programas de investigação e desenvolvimento.

Para concorrer, os interessados devem submeter um texto e um vídeo curto que descrevam o trabalho realizado. Serão distinguidos três trabalhos, que receberão 10 mil, três mil e dois mil euros, consoante ao lugar obtido. Está ainda prevista a atribuição de uma menção honrosa.

O Prémio Arquivo.pt foi lançado em 2018 e conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República Portuguesa.

Ler mais
Recomendadas

Ministro da Educação: “A nossa prioridade é voltar à escola”

No Parlamento, Tiago Brandão Rodrigues voltou a defender esta quarta-feira, que as escolas são locais seguros, mas não avançou data para o regresso. Revelou que nos testes a três mil alunos do secundário e funcionários antes da interrupção letiva nos concelhos de risco, foram detetados 25 casos de Covid-19.

Professores portugueses para escolas timorenses devem chegar em março

Os 108 professores juntam-se a outros 33 que já estão em Timor-Leste, destacados nos Centros de Aprendizagem e Formação Escolar (CAFE), um projeto luso-timorense para a requalificação do ensino timorense em língua portuguesa.

Alunos regressam esta segunda-feira ao ensino a distância

As escolas tanto públicas como privadas, alteraram alguns procedimentos e estão, no geral, mais bem preparados, mas os diretores e os sindicatos de professores admitem que os problemas estão longe de resolvidos. Computadores e dificuldades no acesso à internet na lista do que está em falta.
Comentários