Feira de emprego online apresenta mais de 400 ofertas de trabalho e estágio em Direito

O evento da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa – JobShop’20 Digital – realiza-se nos próximos dias 25 e 26 de novembro e conta com a participação dos maiores escritórios de advocacia do país, consultoras e reguladores.

A Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa organiza, na próxima semana – entre os dias 25 e 26 de novembro – o seu 18ª evento de empregabilidade “JobShop”. A edição deste ano realiza-se em formato 100% digital, mas irá manter as oportunidades de interação direta com o mercado de trabalho e disponibilizar mais de 400 ofertas de emprego e de estágios nesta área.

Haverá uma plataforma online – “Recruiting Lounge Virtual” – na qual os cerca de 400 alunos de licenciatura e mestrado desta faculdade de Lisboa poderão entrar em contacto os potenciais recrutadores, mediante entrevistas rápidas (flash interviews), previamente agendadas na aplicação.

“Sentimos que há um grande dinamismo no mercado da advocacia em Portugal, não só devido à taxa de pleno emprego que o nosso ensino proporciona aos nossos alunos quer de licenciatura quer de mestrado, como também pela concorrência que este evento confirma existir entre recrutadores porque sabem que aqui encontram os melhores alunos”, afirma o diretor da Faculdade de Direito da Católica de Lisboa, Jorge Pereira da Silva.

O JobShop é organizado pelo Gabinete de Carreiras da Faculdade de Direito da Católica. Entre as entidades participantes estão o Centro de Estudos Judiciários, o Centro de Informação Europeia Jacques Delors, a Autoridade da Concorrência, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, o anuário In-Lex, a Marinha e as consultoras Deloitte, EY, KPMG, PwC e TMF Group.

À semelhança das edições anteriores, contará ainda com a realização de duas mesas redondas subordinadas aos temas “desafios para a nova geração de juristas” e “Direito sem fronteiras: diferentes profissões, carreiras internacionais e novos caminhos”.

As sociedades de advogados envolvidas são:

  • Abreu Advogados
  • BAS – Sociedade de Advogados
  • BNP Paribas
  • Caiado Guerreiro
  • Campos Ferreira, Sá Carneiro & Associados
  • Cardigos
  • CCA Law Firm
  • CMS Rui Pena & Arnaut
  • Cruz, Roque, Semião
  • Cruz Vilaça Advogados
  • CTSU – Sociedade de Advogados
  • Cuatrecasas, Gonçalves Pereira
  • CVG Legal Advogados
  • Dias e Teixeira & Advogados
  • Dinis Lucas & Almeida Santos
  • DLA Piper ABBC
  • FALM
  • FCB – Sociedade de Advogados
  • FC Law
  • Gama Glória
  • Garrigues
  • Gómez-Acebo & Pombo
  • Gouveia Pereira, Costa Freitas & Associados
  • Kennedys
  • Lektou Advogados
  • Linklaters
  • Macedo Vitorino & Associados
  • MC & Advogados
  • Miranda & Associados
  • Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados
  • Pares Advogados
  • pbbr
  • Pinto Ribeiro Advogados
  • Plen
  • PLMJ
  • PRA – Raposo, Sá Miranda & Associados
  • Raposo Bernardo & Associados
  • RFF & Associados
  • Rogério Alves & Associados
  • RRP Advogados
  • Sérvulo & Associados
  • SLCM – Serra Lopes, Cortes Martins & Associados
  • Sousa Machado, Ferreira da Costa & Associados
  • SPS Advogados
  • SRS Advogados
  • Telles
  • Uría Menéndez – Proença de Carvalho
  • Vieira de Almeida
Ler mais
Recomendadas

Advogados celebram hoje o Dia Pro Bono em Portugal

O tema deste ano é: “O Pro Bono reinventado na resposta à(s) crise(s) – preparar o futuro”. O evento é organizado pela Associação Pro Bono Portugal, Cuatrecasas, FCB Advogados, PLMJ, Sérvulo & Associados, SRS Advogados, VdA e pelo programa de apoio jurídico da Reuters, o TrustLaw.

“Regulação dos robôs vai exigir quebra de paradigma ontológico e epistemológico”

Eduardo Magrani defende que, antes de se pensar nas questões éticas em torno dos robôs há que compreender filosoficamente a ética dos animais, “que está atrasada”.

CPAS aprova plano de proteção de rendimentos para advogados, solicitadores e agentes de execução com incapacidade temporária de trabalho

O seguro de acidentes pessoais e de doença foi desenvolvido pela AIG e permite que os beneficiários beneficiem de uma proteção que lhes garante, nas situações previstas, o pagamento equivalente a 70% da remuneração convencional mensal por si escolhida, sendo que os prémios são assumidos pelo sistema de previdência.
Comentários