Fernando Medina suspeito de trocar falsos assessores com deputado do PSD

Muitos dos cargos são fictícios e geridos por Sérgio Azevedo, deputado do Partido Social Democrata (PSD), que negociou a troca de boys com o atual presidente da câmara de Lisboa.

Fernando Medina é suspeito de trocar falsos assessores com Sérgio Azevedo, deputado do Partido Social Democrata (PSD). Segundo o “Correio da Manhã” desta quinta-feira, o presidente da Câmara Municial de Lisboa terá negociado com o deputado da Assembleia da República, que era vice-presidente da bancada do PSD, logo após ter vencido as autárquicas em 2017, a distribuição de boys do Partido Socialista (PS) por juntas de freguesia que ganhas pelo PSD.

Em sentido inverso, os boys ‘laranjas’ teriam emprego nas juntas de freguesia, conquistadas pelo PS. Muitos destes cargos são fictícios e existem dezenas de assessores, nas juntas de freguesia, Câmara e Assembleia Municipal de Lisboa, que recebem entre dois a três mil euros liquidos mensais, sem nunca terem realizado qualquer tipo de serviço.

O “CM” conta que o alegado esquema criado por Sérgio Azevedo engloba cargos de assessoria falsos, sendo alguns deles técnicos desempenhados de modo fictício por engenheiros ou arquitetos.

A Unidade de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária (PJ) realizou na quarta-feira buscas a 70 alvos por suspeitas de que o dinheiro dos ordenados é distribuído por todos pelo partido, num saco azul para outros esquemas.

Ao “CM” fonte da câmara municipal de Lisboa afirmou que “é total e completamente falso que tenha havido alguma combinação de contratação de assessores di PSD para juntas de freguesia do PS e o seu contrário”.

Relacionadas

Buscas “não tiveram como objeto” direto a Câmara de Lisboa, realça Medina

“A investigação, como é público, está centrada sobre um objeto externo à Câmara Municipal de Lisboa e, no âmbito dessa operação mais global, houve a vontade de haver a recolha de elementos e informações que a Câmara de Lisboa tinha”, salientou Fernando Medina.

Autarquia de Lisboa acusada de ilegalidade em concurso de publicidade exterior

A atribuição da concessão à JC Decaux foi decidida pela maioria PS-PCP-BE (com votos contra dos partidos CDS e PSD), está a ser contestada pelos restantes concorrentes e será levada a tribunal.
Recomendadas

Marques Mendes: 1,2 mil milhões “não vão chegar” para a TAP

O comentador político espera que o Governo opte por fazer uma auditoria financeira à companhia área. E está convencido que os 1,2 mil milhões de euros a injetar não vão ser suficientes.

Jerónimo quer gestão privada fora da TAP

Jerónimo de Sousa, que falava num comício no Porto, acusou ainda o Presidente da República de “branquear o PSD” e a “política de direita”.

Cinco personalidades pedem “apreciação dos abundantes conflitos de interesses” no Parlamento

Paulo de Morais, Henrique Neto, João Paulo Batalha, Óscar Afonso e Mário Frota escreveram uma carta a Eduardo Ferro Rodrigues onde instam o presidente da Assembleia da República a pedir à Comissão de Transparência e Estatuto dos Deputados que faça a apreciação dos “abundantes conflitos de interesses que subsistem”.
Comentários