Filipe Almeida: “Filantropia está a evoluir de clássica para estratégica, orientada para projetos inovadores”

O presidente da iniciativa Portugal Inovação Social acredita que, num futuro próximo, só os negócios e as empresas que alinhem estrategicamente o seu propósito económico com o seu impacto social e ambiental serão sustentáveis.

D.R

Filipe Almeida é um dos jurados do novo programa de apoio a empreendedores sociais e instituições de solidariedade criado pelo Lidl, em conjunto com o Grupo Renascença Multimédia e a Beta-i. O “Mais Ajuda” tem 150 mil euros Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) e startups e, segundo o responsável da Portugal Inovação Social, enquadra-se numa lógica de evolução do conceito de filantropia e contribui para sensibilização da comunidade e dos consumidores para os problemas sociais.

“Hoje há uma tendência mundial que se vem consolidando no contexto corporativo que sugere a evolução de uma filantropia clássica, baseada no donativo, sem alinhamento estratégico, sem avaliação do impacto e frequentemente sem envolvimento na intervenção social financiada, para uma filantropia estratégica, orientada para projetos sociais inovadores, com impacto social relevante, alinhados estrategicamente com o negócio, que prestam contas dos resultados, baseada numa parceria ativa entre a empresa e os promotores destes projetos”, refere Filipe Almeida.

Em declarações enviadas ao Jornal Económico (JE), o presidente da Portugal Inovação Social lembra que as organizações financiam e envolvem-se em projetos sociais há muito tempo, no entanto, “têm-no feito com especial intensidade nos últimos 50 anos”. “Em alguns casos, esta filantropia evolui até para o chamado Investimento de impacto, quando o financiamento prioriza o impacto social e o entende como um retorno relevante, conciliando-o eficazmente com o retorno económico”, explica ao JE.

Há “Mais Ajuda” para startups de inovação social e IPSS

Os empreendedores sociais interessados em receber auxílio monetário e mentoria, no âmbito do “Mais Ajuda”, podem candidatarem-se até ao próximo dia 29 de fevereiro.

Por cada talão com artigos Deluxe – a marca própria disponível nas épocas festivas do Natal e Páscoa – 20 cêntimos foram entregues pelo Lidl a este projeto.”Nos últimos cinco anos e apenas com as campanhas de natal, a empresa entregou cerca de 3 milhões de euros a associações como a Refood, CASA ou Associação Nuvem Vitória, num total de 127 instituições, para que estas pudessem melhorar a sua intervenção e abrangência”, destaca Vanessa Romeu, diretora de Comunicação Corporativa do Lidl.

Ler mais
Recomendadas

Cinco startups portuguesas na corrida para entrar na rede Tech 5

DefinedCrowd, Sword Health, Jscrambler, 20tree.ai e Barkyn são as finalistas nacionais. É o segundo ano que Portugal participa no concurso criado pela Adyen e The Next Web.

Flow capta Jane Hoffer como CEO para expandir o negócio

Fruto de uma parceria tecnológica entre a Galp e o CeiiA, a startup disponibiliza software para carregamento de veículos elétricos, entre vários outros serviços.

Startup Aplanet cria software para ajudar empresas a serem sustentáveis

A tecnológica venceu a fase nacional do concurso de inovação da Zurich e está agora a trabalhar com a seguradora numa solução que proteja as futuras gerações. Carlos Fonseca, chefe de operações da Zurich Portugal, disse ao Jornal Económico que o grupo trabalha hoje com dez startups.
Comentários