Fim da taxa de ocupação do subsolo a famílias baixa preços do gás

Orçamento do Estado de 2017 define que o imposto volta a ser pago pelas empresas operadoras de infraestruturas, depois de quase uma década a ser pago por consumidores domésticos.

O gás natural vai ficar mais barato para os consumidores domésticos já este mês de janeiro com a passagem da taxa de ocupação do subsolo para as empresas. O valor médio da descida é de 10% nos 45 municípios que cobravam o imposto, segundo dados da ERSE, divulgados pelo Correio da Manhã.

Até agora, os consumidores suportavam o pagamento da taxa diretamente na fatura do gás, sendo que o peso do imposto ultrapassava nalguns locais os 47%. Entre os municípios que mais pagavam pela taxa, que é calculada com uma parte fixa e outra variável consoante o consumo, estão Cascais e Évora. As faturas do gás incluíam valores médios de 47,2% e 44,9% referentes ao imposto, respectivamente.

As famílias da Covilhã podem vir a poupar 36,6% na fatura do gás natural, enquanto as da Moita, Palmela e Sintra vão pagar menos cerca de 30%. O gás pode vir a custar menos 19% em Sines, 14,9% no Barreiro e 12,3% em Lisboa.

De acordo com o artigo 85 do Orçamento do Estado de 2017, a taxa de ocupação do subsolo passa a ser paga “pelas empresas operadoras de infraestruturas, não podendo ser refletidas na fatura dos consumidores”.

Desde que o imposto começou a ser cobrado aos consumidores domésticos em 2008, a taxa de ocupação do subsolo tem sido polémica por várias razões. As empresas operadoras contestaram a cobrança em tribunal e o Conselho Tarifário criticou a diferença no valor a pagar pelos diferentes municípios, que é definido em assembleia municipal.

Em relação à solução encontrada pelo Governo, a DECO tinha já afirmado que vai ficar atenta para perceber se as empresas vão aumentar os preços do gás para diminuir o prejuízo.

Ler mais
Relacionadas

As 25 mudanças que vão afetar o seu bolso em 2017

Em 2017, as famílias recuperam rendimento mas também há preços que sobem. Saiba tudo o que vai mexer na sua carteira.

Eletricidade aumenta 1,2% a partir de amanhã

No gás natural não se verificará qualquer alteração de preços. O número de beneficiários da tarifa social atinge os 815 mil.
Recomendadas

Compra da Tagusgás pela Galp Gás foi assessorada pela Sérvulo e pelo BCP

Galp Gás Natural Distribuição anunciou esta segunda-feira a conclusão do negócio de compra da Tagusgás, empresa de distribuição de gás natural na região Centro do país, por um valor de 32 milhões de euros. A Sérvulo foi o assessor jurídico e o Millennium BCP o assessor financeiro.

EDP produziu menos 11% de eletricidade no primeiro semestre

A produção de electricidade baixou 11% no 1º semestre de 2019, devido à forte redução da produção hídrica, de acordo com os dados operacionais publicados na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Relação de Lisboa voltar a anular decisão de juiz Ivo Rosa no caso EDP

O Tribunal da Relação de Lisboa voltou hoje a revogar a decisão do juiz de instrução Ivo Rosa de que os ’emails’ apreendidos na “Operação Marquês” e no caso BES não podiam ser utilizados no processo EDP.
Comentários