Fim de beatas na rua debatidas a 12 de junho no Parlamento

Proposta do PAN prevê ações de fiscalização da Agência Portuguesa para o Ambiente, ASAE, câmaras municipais, GNR e da PSP, incluindo a aplicação de multas e a criação de uma “ecotaxa”.

O partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) quer proibir o descarte de beatas de cigarro para a via pública, defendendo que todos os anos as beatas são responsáveis por 30% dos incêndios e que um filtro de cigarro leva dez anos a degradar-se. A proposta do PAN será debatida no Parlamento a 12 de junho, noticia o “Público” esta segunda-feira, 3 de junho.

“Segundo as organizações Beata no Chão Gera Poluição e Portugal sem Beatas, no nosso país são atiradas estimadamente para o chão sete mil beatas de cigarro a cada minuto, uma quantidade elevadíssima que nos deve mobilizar a encontrar soluções”, lê-se na introdução do projecto-lei n.º 1214/XIII, diploma que está no Parlamento desde meados de maio.

O PAN argumenta também que as beatas são o resíduo mais encontrado nas zonas costeiras e que a percentagem de portugueses que considera normal atirar beatas para o chão chega aos 20.

São estes número que levaram André Silva, deputado do PAN na Assembleia da República, a propor a proibição de descartar beatas para a via pública em todo o país. Para maior eficácia da medida, o diploma do PAN propõe também ações de fiscalização por parte da Agência Portuguesa para o Ambiente, da ASAE, das câmaras municipais, da GNR e da PSP, incluindo a aplicação de multas e a criação de uma “ecotaxa”.

Recomendadas

Mudanças no apoio ao grupo parlamentar do PAN

No despacho do PAN consta “Exonerados do cargo de assessores” ficam Márcio Manuel Cavaleiro da Quadrada, Sara Filipa Tomé Marques Martins, Susana Isabel de Oliveira Andrade.

PSD defende reuniões epidemiológicas quinzenais e transmitidas pelo canal Parlamento

O PSD também pediu que nas reuniões estivessem presentes “um representante do Ministério da Saúde, outro ou outros representantes governamentais, caso o Governo assim o entenda, epidemiologistas de instituições públicas e privadas, a indicar sob proposta da Direção-Geral da Saúde, outros especialistas que a Comissão de Saúde venha a deliberar ouvir”.

Marcelo congratula-se “reconhecimento de melhoria da gestão” da Presidência da República

O chefe de Estado congratulou-se hoje com o juízo favorável do Tribunal de Contas à conta da Presidência da República de 2019, considerando que há um “reconhecimento do trabalho de melhoria da gestão financeira e administrativa”.
Comentários