Finanças falam em convergência “sem precedentes” de Portugal com a União Europeia

O ministério das Finanças, liderado por Mário Centeno referiu que o PIB português cresceu a um ritmo mais acelerado do que a zona euro e do que a União Europeia, no ano passado. Em 2019, a economia nacional PIB expandiu 2%, acima da zona euro, que cresceu 1,2% e da União Europeia, que cresceu 1,4%.

Audiovisual da União Europeia

O ministério das Finanças reagiu à estimativa rápida sobre o crescimento do PIB publicada esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística, que deu conta que a economia portuguesa cresceu 2% em 2019, acima da meta do governo.

De acordo com o INE, no quarto trimestre de 2019, o PIB cresceu 2,2%, mais três décimas do que no trimestre anterior, impulsionado por uma recuperação das exportações e pela diminuição das importações, números que levaram o ministério liderado por Mário Centeno a detalhar, em comunicado, que “a economia portuguesa cresceu, em cadeia, há 23 trimestre consecutivos (25 em termos homólogos).

Além disso, as Finanças destacaram ” a aceleração do crescimento das exportações, especialmente relevante atendendo ao quadro de abrandamento da atividade económica internacional, com particular incidência na área do euro e na União Europeia − crescimento homólogo de 0,9% e 1,2%, respetivamente (-0,3 pontos percentuais do que no trimestre anterior) e 0,1% em cadeia (-0.2 pontos percentuais do que no trimestre anterior)”.

O ministério liderado por Mário Centeno referiu também que o PIB português cresceu a um ritmo mais acelerado do que a zona euro e do que a União Europeia. “No conjunto do ano de 2019, a economia portuguesa cresceu 2%, +0,8 pontos percentuais do que a área do euro (1,2%) e +0,6 pontos percentuais do que a União Europeia (1,4%)”, lê-se no documento.

Neste sentido, o país “reforça o processo de convergência que se estende já por quatro anos consecutivos relativamente à área do euro e três face à União Europeia”.

“A convergência com os parceiros europeus tem vindo a ocorrer em paralelo com o processo de consolidação orçamental e a manutenção do equilíbrio das contas externas – uma combinação sem precedentes desde a adesão de Portugal à moeda única”, destacaram as Finanças.

Economia cresceu 2% em 2019, acima da meta do Governo

Ler mais

Relacionadas

Desafio número um para Portugal? O peso da dívida, um dos maiores no mundo, avisa a Moody’s

A agência de notação sublinha, no entanto, que o rácio da dívida continuaria a descer mesmo em caso de choques negativos externos nas áreas do crescimento, política orçamental, taxas de juro ou câmbio.as perspetivas de crescimento económico do país são “moderadas”.

Moody’s dá nota positiva ao regime português de obrigações cobertas

“A lei portuguesa de títulos cobertos já está alinhada com a maioria dos padrões mínimos obrigatórios e voluntários prescritos nas novas regras da UE”, diz a Moody’s.

Fitch: “postura de Centeno faz com que Portugal se distinga em relação a Itália ou até a Espanha”

Michele Napolitano, ‘senior diretor’ da Fitch e responsável pela análise do risco da dívida portuguesa, disse que o ministro das Finanças, Mário Centeno, traz prudência à política orçamental de Portugal.
Recomendadas

Vendas dos lojistas com quebras de 37% face a 2019. Em Lisboa, a redução é superior a 40%

Por sector de atividade, a restauração continua a ser o setor mais afetado, com a descida das vendas a registar 49,1%, o sector de retalho 34,3% e o sector de serviços 38,5%.

DBRS prevê deterioração dos ativos da banca portuguesa em 2021

A agência DBRS prevê uma deterioração “mais pronunciada” da qualidade dos ativos da banca portuguesa em 2021, dada a flexibilização das moratórias, dos empréstimos com garantia do Estado e de outros apoios públicos relacionados com a pandemia.

Espanha prepara apoio extraordinário a quem já esgotou subsídio de desemprego

O Governo e os parceiros sociais espanhóis negociam um subsídio especial de 430 euros para quem esgote os apoios a que tem direito, bem como uma nova fórmula de cálculo para trabalhadores em layoff de trabalhos part-time
Comentários