Financiamento da UE para ação climática sobe para 21,7 mil milhões de euros em 2018

A União Europeia quer aumentar até 2020 as suas contribuições para o financiamento internacional da ação climática para 100 mil milhões de euros por ano, prolongando essa contribuição até 2025.

A União Europeia aumentou as contribuições para o financiamento da ação climática para 21,7 mil milhões de euros no ano passado, mais 1,3 mil milhões do que em 2017, segundo um comunicado divulgado esta sexta-feira pelo Conselho da União Europeia.

“As contribuições da UE e dos seus Estados-Membros para ajudar os países em desenvolvimento a reduzirem as suas emissões de gases com efeito de estufa e a enfrentarem o impacto das alterações climáticas mais do que duplicaram desde 2013”, refere a instituição europeia.

No âmbito da Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, que terá lugar em Madrid entre 2 e 13 de dezembro, a UE revelou que “as contribuições foram canalizadas com êxito para iniciativas de atenuação e adaptação às alterações climáticas nos países em desenvolvimento”.

A União Europeia quer aumentar até 2020 as suas contribuições para o financiamento internacional da ação climática para 100 mil milhões de euros por ano, prolongando essa contribuição até 2025.

“Até 2025, as partes definirão um novo objetivo coletivo quantificado. Neste contexto, as conclusões registam o compromisso da UE de participar nesses debates a partir de novembro de 2020”, acrescenta.

Recomendadas
marcelo_rebelo_sousa_legislativas

Marcelo considera aumento do salário mínimo “razoável” e promulga hoje o diploma

O Presidente da República vai promulgar hoje o diploma que estabelece um aumento do salário mínimo nacional para 635 euros em 2020, que considera “uma solução razoável, a pensar na economia e na sociedade portuguesa”.

Exclusivo: Farfetch com ‘breakeven’ em 2021 é “cenário perfeitamente realista”, diz José Neves

Em entrevista ao JE, o CEO diz que a empresa ainda não tem ‘guidance’ oficial, mas vê como correta a estimativa dos analistas sobre o ‘breakeven’ ao nível do EBITDA daqui a dois anos. A melhoria da margem no terceiro trimestre mostra o caminho a seguir, diz, mostrando confiança numa subida das ações. Cotação do título dispara 33% na abertura em Wall Street.

Carlos Costa: Instabilidade financeira iria “criar muitos problemas que alimentariam” populismos

Governador do Banco de Portugal voltou a apelar a uma vontade política decisiva para avançar com a conclusão da União Bancária e o desenvolvimento da União dos Mercados de Capitais, a fim de fortalecer a estabilidade da zona euro.
Comentários