Financiamento da UE para ação climática sobe para 21,7 mil milhões de euros em 2018

A União Europeia quer aumentar até 2020 as suas contribuições para o financiamento internacional da ação climática para 100 mil milhões de euros por ano, prolongando essa contribuição até 2025.

A União Europeia aumentou as contribuições para o financiamento da ação climática para 21,7 mil milhões de euros no ano passado, mais 1,3 mil milhões do que em 2017, segundo um comunicado divulgado esta sexta-feira pelo Conselho da União Europeia.

“As contribuições da UE e dos seus Estados-Membros para ajudar os países em desenvolvimento a reduzirem as suas emissões de gases com efeito de estufa e a enfrentarem o impacto das alterações climáticas mais do que duplicaram desde 2013”, refere a instituição europeia.

No âmbito da Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, que terá lugar em Madrid entre 2 e 13 de dezembro, a UE revelou que “as contribuições foram canalizadas com êxito para iniciativas de atenuação e adaptação às alterações climáticas nos países em desenvolvimento”.

A União Europeia quer aumentar até 2020 as suas contribuições para o financiamento internacional da ação climática para 100 mil milhões de euros por ano, prolongando essa contribuição até 2025.

“Até 2025, as partes definirão um novo objetivo coletivo quantificado. Neste contexto, as conclusões registam o compromisso da UE de participar nesses debates a partir de novembro de 2020”, acrescenta.

Recomendadas

Graça Freitas: “Estádios com público esta época? Está dependente de avaliação rigorosa”

“Temos a capacidade de sermos flexíveis e de nos adaptarmos com medidas progressivas, vamos ter de continuar a avaliar a progressão da epidemia, em cada momento será feita a reavaliação do risco, como nos últimos meses, adaptam-se sempre as medidas ao risco presente, e ao que possa acontecer”, realçou a diretora da DGS.

Covid-19. 96% dos novos casos nas últimas 24 horas registados em Lisboa e Vale do Tejo

A nível nacional, o número de novos casos cresceu 0,61% para 32.700 casos, com o número de vítimas mortais a subir 0,99% para 1.424 óbitos.

Precários Inflexíveis lamentam atraso e exigência “irracional e insultuosa” no apoio a trabalhadores independentes

A associação critica ainda o facto de logo ao acederem ao formulário os trabalhadores independentes se depararem com a necessidade de subscrever uma nova frase na declaração sob compromisso de honra, que têm de confirmar logo no início do pedido, a de que retomarão “a atividade profissional no prazo de 8 dias, após a data de reabertura declarada pelo Governo, caso a mesma tenha estado suspensa ou encerrada devida ao surto de covid-19”.
Comentários