PremiumFisco avança com execuções a 500 advogados com dívidas à Ordem

Advogados que tenham quotas em atraso e não pagarem voluntariamente podem ser alvo de ações executivas. Já foram formalizadas 500 execuções fiscais junto da AT nas duas mil interpelações feitas pela Ordem.

Dois mil advogados com quotas por pagar à Ordem dos Advogados (OA) arriscam-se a alvo de ações executivas para liquidar uma dívida de 5,5 milhões de euros. Este é o número de causídicos que foram já interpelados pela Ordem para pagarem valores em falta, com proposta de acordo para pagamento a prestações. Caso não haja acordo extrajudicial, serão propostas ações executivas à Autoridade Tributária (AT) que tem a competência para executar os devedores, revelou ao Jornal Económico fonte oficial da OA.

No total, são cerca de 14 mil advogados que têm quotas por pagar, num total que se aproxima dos sete milhões de euros. E “a Ordem interpelou dois mil associados para pagarem o montante de quota em dívida, propondo acordo para pagamento, e caso não haja este acordo serão propostas ações executivas junto da AT”, avançou ao JE fonte oficial da OA, liderada por Guilherme Figueiredo. A mesma fonte adianta que “foram já formalizadas cerca de 500 propostas de ações executivas, bem como 324 acordos com os associados para pagamento de dívidas fora do âmbito do processo executivo”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumDeloitte vai quase duplicar soluções na “App Store fiscal”

Os programadores da consultora irão, até ao final do ano, desenvolver mais aplicações móveis para automatizar os processos fiscais das empresas.

Operação Lex: Ordem dos Advogados vê com “grande preocupação” viciação do sorteio de processos em tribunais

A Ordem dos Advogados vê com “grande preocupação” a possibilidade de viciação do sistema electrónico de distribuição de processos nos Tribunais portugueses e apela a que o Conselho Superior de Magistratura assegure que este tipo de práticas “não poderá repetir-se”, depois de notícias que dão conta de que o ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, Vaz das Neves, foi constituído arguido no processo Operação Lex, por aquele tipo de suspeitas de viciação.

PremiumNuno Faria: “Negócios entre Portugal e Irão estão em ponto morto”

O advogado Nuno Pinto Coelho de Faria realça que a escalada das tensões no Médio Oriente travou contactos “muitíssimo evoluídos” no setor farmacêutico.
Comentários