Fisco cobra dívidas na autoestrada. Quem não pagar fica com o carro penhorado

A iniciativa “Ação sobre Rodas” da Autoridade Tributária controla na auto-estrada quem tem dívidas aos fisco. Quem não pagar, fica sem o carro até pagar.

A Autoridade Tributária (AT), em colaboração com a GNR, está hoje de manhã a intercetar condutores em Alfena, em Valongo, no âmbito de uma ação que visa a cobrança de dívidas às Finanças.

Segundo fonte da AT no local, a iniciativa, denominada “Ação sobre Rodas”, passa por “intercetar condutores com dívidas às Finanças, convidá-los a pagar e dar-lhes essa oportunidade de pagarem”.

“Se não tiverem condições de pagar no momento, estamos em condições de penhorar as viaturas”, disse.

O controlo dos devedores está a ser feito através de um sistema informático, que se encontra montado em mesas em tendas colocadas na rotunda da Autoestrada 42 (A42), saída de Alfena, distrito do Porto.

O sistema informático cruza dados através das matrículas das viaturas e compara-os com a existência de dívidas ao fisco, explicou.

A operação teve início às 08:00 e deverá prolongar-se até cerca das 13:00.

No local encontram-se “cerca de 20 elementos” da AT e cerca de 10 da GNR.

O balanço desta operação regional apenas será conhecido mais tarde, indicou a fonte.

A Lusa testemunhou no local a paragem de mais de uma dezena de viaturas.

Elementos da GNR mandam parar as viaturas, consultam os agentes da AT que se encontram aos computadores e, mediante a existência de dívidas, solicitam aos condutores que as liquidem.

Relacionadas

Estado arrecadou mais 893 milhões de euros em impostos em abril

Em abril, a receita fiscal aumentou 7,6% para 12.662 milhões de euros  devido sobretudo ao desempenho do IVA  com um acréscimo de receita de 459 milhões de euros, respetivamente. Também o ISP e o IRS contribuíram para os cofres do Estado com mais 292 milhões de euros.
Recomendadas

“Basta de destruir” o Fisco. Trabalhadores dos impostos fazem greve de 1 a 5 de dezembro

Em causa está o descontentamento dos trabalhadores contra a demora na regulamentação na carreira ou a perda de autonomia da Autoridade Tributária e Aduaneira, revela esta quarta-feira o STI.

Rio tem “feeling” na vitória de Moedas e fala de “vigarice” nas sondagens

“Quem vai ganhar? Não sabemos, o meu feeling é que ganha o Carlos Moedas e é isso que temos de continuar a fazer até dia 26 de setembro”, disse Rui Rio.

Bruxelas “acompanha de perto” subida dos preços da energia

“Na situação atual, a Europa precisa de investir em energias renováveis, uma vez que estas oferecem uma alternativa real à nossa dependência de combustíveis fósseis importados”, disse o comissário Kadri Simson.
Comentários