Fitch atribui rating à dívida não preferencial que o BCP venha a emitir

A dívida sénior não preferencial constitui uma nova classe de dívida sénior ao abrigo da lei portuguesa. Foi introduzida em 14 de março de 2019, quando foi alterada a lei bancária.

Reinhard Krause/Reuters

Depois da DBRS é a vez da Fitch Ratings atribuir à dívida não preferencial sénior do Banco Comercial Português o rating ‘BB (EXP)’ de longo prazo. A dívida será emitida de acordo com o programa de notes de 25 mil milhões de euros do banco, que já existe (EMTN).

A Fitch salvaguarda que a atribuição de uma classificação final” depende do recebimento dos documentos finais, em conformidade com as informações já recebidas”.

“A classificação é atribuída ao programa de dívida. Não há garantia que as notas emitidas sob o programa receberão uma classificação, ou que a classificação atribuída a uma emissão específica no programa seja a mesma que a classificação atribuída ao programa”, disse a agência de rating.

A introdução desta nova classe de dívida não afeta o rating de dívida sénior de longo prazo ‘BB’ do BCP, que, após as mudanças legislativas em Portugal em março de 2019, tornou-se uma das principais obrigações preferenciais do banco.

A Fitch classificou a dívida preferencial sénior do BCP em linha com o rating IDR (Long-Term Issuer Default Rating), isto é, com o rating da probabilidade de incumprimento do banco como emitente de Longo Prazo . A Fitch vê a probabilidade de incumprimento na dívida preferencial sénior igual à probabilidade de incumprimento do banco.

A dívida sénior não preferencial constitui uma nova classe de dívida sénior ao abrigo da lei portuguesa. Foi introduzida em 14 de março de 2019, quando foi alterada a lei bancária.

Ler mais
Recomendadas

Moody’s mantém rating do CaixaBank e põe o do Bankia em revisão para ‘upgrade’

A agência de notação financeira norte-americana manteve a perspetiva estável do banco espanhol que detém o BPI.

BES: Depoimento de Carlos Costa no recurso da KPMG a coimas do BdP foi adiado

O Tribunal da Concorrência, Regulação e Supervisão acabou por ouvir apenas o perito Pedro Pereira, técnico superior do BdP, num depoimento que prosseguirá na próxima quinta-feira.

Deutsche Bank quer fechar 100 balcões nos próximos anos na Alemanha

O Deutsche Bank possui atualmente cerca de 500 agências bancárias próprias, além das 800 da sua subsidiária Postbank, e, no final da reestruturação, pretende ter cerca de 400 balcões, sem adiantar quantos trabalhadores serão abrangidos por este processo.
Comentários