Fitch atribui rating à dívida não preferencial que o BCP venha a emitir

A dívida sénior não preferencial constitui uma nova classe de dívida sénior ao abrigo da lei portuguesa. Foi introduzida em 14 de março de 2019, quando foi alterada a lei bancária.

Reinhard Krause/Reuters

Depois da DBRS é a vez da Fitch Ratings atribuir à dívida não preferencial sénior do Banco Comercial Português o rating ‘BB (EXP)’ de longo prazo. A dívida será emitida de acordo com o programa de notes de 25 mil milhões de euros do banco, que já existe (EMTN).

A Fitch salvaguarda que a atribuição de uma classificação final” depende do recebimento dos documentos finais, em conformidade com as informações já recebidas”.

“A classificação é atribuída ao programa de dívida. Não há garantia que as notas emitidas sob o programa receberão uma classificação, ou que a classificação atribuída a uma emissão específica no programa seja a mesma que a classificação atribuída ao programa”, disse a agência de rating.

A introdução desta nova classe de dívida não afeta o rating de dívida sénior de longo prazo ‘BB’ do BCP, que, após as mudanças legislativas em Portugal em março de 2019, tornou-se uma das principais obrigações preferenciais do banco.

A Fitch classificou a dívida preferencial sénior do BCP em linha com o rating IDR (Long-Term Issuer Default Rating), isto é, com o rating da probabilidade de incumprimento do banco como emitente de Longo Prazo . A Fitch vê a probabilidade de incumprimento na dívida preferencial sénior igual à probabilidade de incumprimento do banco.

A dívida sénior não preferencial constitui uma nova classe de dívida sénior ao abrigo da lei portuguesa. Foi introduzida em 14 de março de 2019, quando foi alterada a lei bancária.

Ler mais
Recomendadas

Bankinter e COSEC assinam protocolo de distribuição de seguro de créditos

O objetivo é permitir às empresas a gestão do risco de crédito em condições mais seguras, cobrindo os prejuízos decorrentes do não pagamento das vendas a crédito de bens e serviços em Portugal e no estrangeiro.

BdP: empréstimos às empresas cresceram em outubro

Já quanto aos empréstimos a particulares, o BdP diz ter registado uma variação de 6,9% em outubro, quando em setembro registara uma taxa de variação de 7,2%.

BCE mantém as exigências de capital ao BPI para 2020

Aí estão os requisitos de capital que o BCE impõe ao BPI para 2020 em função da qualidade do seu balanço. Estes requisitos implicam que o patamar mínimo de CET1 a partir do qual o Banco BPI teria restrições, em 2020, às distribuições de dividendos, é de 9.38%. O BPI tem um rácio de capital core de 12,7% a 30 de setembro deste ano.
Comentários