Fitch reafirma rating do Santander Totta

A Fitch considera os níveis adequados de capitalização do banco detido a 100% pelo Santander Espanha, lembrando que “apesar da integração do Banco Popular Portugal, o Santander Totta continua a comparar bem com os seus concorrentes”.

Cristina Bernardo

A agência Fitch reafirmou o rating da dívida de longo prazo do Santander Totta em BBB+ e melhorou o rating de viabilidade de bb+ para bbb-. A agência reafirmou ainda o rating da dívida de curto prazo em F2. Os outlooks são estáveis.

A agência justifica que a Fitch salienta que “o Santander Totta tem mantido consistentemente uma qualidade de ativos significativamente melhor que a do setor, mesmo depois da integração do Banif e do Popular”.

As atuais notações de rating da dívida de longo prazo do Banco, em comparação com os níveis da República Portuguesa são as seguintes: Fitch – BBB+ (Portugal – BBB); Moody’s – Baa3 (Portugal – Baa3); S&P – BBB- (Portugal – BBB-); e DBRS – A (Portugal – BBB).

A agência de notação refere que “as atividades do Santander Totta em Portugal são estrategicamente importantes para o grupo, enquanto a gestão independente é significante. O Santander Totta tem feito um percurso longo e com sucesso no apoio aos objetivos do grupo”.

Sobre o rating de viabilidade, a Fitch explica que “a melhoria deve-se principalmente à capacidade que o Banco tem demonstrado em ter um bom desempenho e em integrar progressivamente o Banco Popular Portugal, sem comprometer a sua rentabilidade ajustada ao risco ao longo do ciclo económico. O seu core business tem sido resiliente e o Banco tem gerado uma rentabilidade adequada, mantendo simultaneamente a qualidade dos ativos controlada”.

Este rating considera também os níveis adequados de capitalização, lembrando que “apesar da integração do Banco Popular Portugal, o Santander Totta continua a comparar bem com os seus concorrentes”.

 

Ler mais
Recomendadas

Governo avança com lei que permite aos bancos contabilizar como custo fiscal as novas imparidades

“A presente alteração visa sanar a divergência entre os sistemas contabilísticos e fiscais no que respeita ao tratamento de perdas por imparidades associadas a operações de crédito. Prevêem-se ainda regras disciplinadoras para as perdas por imparidade registadas nos períodos de tributação com início anterior a 1 de janeiro de 2019, e ainda não aceites fiscalmente”, diz o último comunicado do Conselho de Ministros

BPI vence Prémio Cinco Estrelas na categoria de Banca Digital

O BPI é líder na penetração do homebanking, com quase metade dos seus clientes particulares a serem utilizadores deste canal. O mesmo acontece no caso dos clientes empresariais, em que 84,5% usam os canais digitais do Banco. Isto segundo o estudo BASEF Banca relativo ao período de fevereiro a agosto de 2018.

BCP é a Escolha do Consumidor 2019 na categoria Grandes Bancos

O Banco registou o maior grau de satisfação dos inquiridos face à concorrência, com 7,33 (de 1 a 10), terminando com um índice de satisfação de 71,69% entre os dois mil consumidores consultados.
Comentários