Fitch reafirma rating do Santander Totta

A Fitch considera os níveis adequados de capitalização do banco detido a 100% pelo Santander Espanha, lembrando que “apesar da integração do Banco Popular Portugal, o Santander Totta continua a comparar bem com os seus concorrentes”.

Cristina Bernardo

A agência Fitch reafirmou o rating da dívida de longo prazo do Santander Totta em BBB+ e melhorou o rating de viabilidade de bb+ para bbb-. A agência reafirmou ainda o rating da dívida de curto prazo em F2. Os outlooks são estáveis.

A agência justifica que a Fitch salienta que “o Santander Totta tem mantido consistentemente uma qualidade de ativos significativamente melhor que a do setor, mesmo depois da integração do Banif e do Popular”.

As atuais notações de rating da dívida de longo prazo do Banco, em comparação com os níveis da República Portuguesa são as seguintes: Fitch – BBB+ (Portugal – BBB); Moody’s – Baa3 (Portugal – Baa3); S&P – BBB- (Portugal – BBB-); e DBRS – A (Portugal – BBB).

A agência de notação refere que “as atividades do Santander Totta em Portugal são estrategicamente importantes para o grupo, enquanto a gestão independente é significante. O Santander Totta tem feito um percurso longo e com sucesso no apoio aos objetivos do grupo”.

Sobre o rating de viabilidade, a Fitch explica que “a melhoria deve-se principalmente à capacidade que o Banco tem demonstrado em ter um bom desempenho e em integrar progressivamente o Banco Popular Portugal, sem comprometer a sua rentabilidade ajustada ao risco ao longo do ciclo económico. O seu core business tem sido resiliente e o Banco tem gerado uma rentabilidade adequada, mantendo simultaneamente a qualidade dos ativos controlada”.

Este rating considera também os níveis adequados de capitalização, lembrando que “apesar da integração do Banco Popular Portugal, o Santander Totta continua a comparar bem com os seus concorrentes”.

 

Ler mais
Recomendadas

Banco de Portugal confirma que “considera todos os factos novos” na idoneidade dos acionistas do EuroBic

Em função da avaliação da informação recebida, “o Banco de Portugal retirará as devidas consequências, nomeadamente em matéria prudencial e contraordenacional”, diz o supervisor em comunicado referindo-se à investigação ao cumprimento dos deveres a que o EuroBic está sujeito em matéria de prevenção do branqueamento de capitais.

EuroBic corta relações comerciais com empresas controladas por Isabel dos Santos

O conselho de administração do Eurobic deliberou esta segunda-feira cortar as relações comerciais com as empresas controladas por Isabel dos Santos e anunciou que vai remeter para o Banco de Portugal o processo relativo aos pagamentos da Sonangol à Matter, empresa de Isabel dos Santos com sede no Dubai.

Banco de Portugal equaciona reavaliação da idoneidade de Isabel dos Santos

O supervisor bancário, se concluir pela retirada da idoneidade a Isabel dos Santos, o instrumento legal que possui é a inibição dos direitos de voto, revelou fonte ao Jornal Económico.
Comentários