Flexdeal lança oferta para aumento de capital em 10 milhões

Segundo a CMVM, a Flexdeal indicou que no dia 3 de agosto a sua assembleia-geral deliberou aumentar o capital social de 16.103.580,00 euros para 26.103.580,00 euros.

A Flexdeal, a primeira SIMFE (sociedade de investimento mobiliário para fomento da economia) em Portugal, lançou uma oferta pública de subscrição aos acionistas para aumentar o capital em 10 milhões de euros, de acordo com um prospeto.

No mesmo documento, publicado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Flexdeal indicou que no dia 03 de agosto a sua assembleia-geral deliberou aumentar o capital social de 16.103.580,00 euros para 26.103.580,00 euros “a realizar através de oferta pública de subscrição com subscrição reservada a acionistas no exercício do direito de preferência, demais investidores que adquiram direitos de subscrição e, a título subsidiário, a investidores em geral, através da emissão de 2.000.000 de novas ações ordinárias, nominativas e escriturais, com o valor nominal de 5,00 euros”.

“O pagamento do preço de subscrição das novas ações será efetuado em dinheiro”, detalhou a Flexdeal.

De acordo com o prospeto, a “cada ação será atribuído um direito de subscrição. O número de novas ações a subscrever no exercício de tais direitos resulta da aplicação do fator 0,6238846113 ao número de direitos de subscrição detidos no momento da subscrição, com arredondamento por defeito para o número inteiro de ações ordinárias mais próximo”, indicou o grupo.

De acordo com a Flexdeal, no “contexto da oferta pública de subscrição, no dia 23 de julho de 2020, a Método Garantido, SA, acionista de controlo da Flexdeal, assumiu o compromisso de transmitir as ordens de subscrição que sejam necessárias para manter pelo menos 51,00% das ações representativas do capital social”.

Segundo a empresa, as “novas ações inicialmente não subscritas no exercício dos direitos de subscrição serão objeto de rateio pelos detentores de direitos de subscrição que tenham manifestado intenção de subscrever um número de novas ações superior àquele a que teriam proporcionalmente direito, na proporção das novas ações subscritas no exercício dos respetivos direitos de subscrição”.

No prospeto, a empresa indica que a “data limite para aquisição em mercado regulamentado Euronext Lisbon de ações da Flexdeal com direitos de preferência na subscrição das novas ações incorporados será o dia 26 de agosto de 2020, inclusive”.

Por outro lado, a “data limite para aquisição fora mercado regulamentado Euronext Lisbon de ações da Flexdeal com direitos de preferência na subscrição das novas ações incorporados será o dia 28 de agosto de 2020, inclusive”, sendo que “as ações da Flexdeal adquiridas após estas datas, respetivamente, já não conferem o direito a participar na Oferta”.

De acordo com o prospeto “o período de exercício dos direitos de subscrição de novas ações decorrerá entre as 8:30 horas do dia 31 de agosto de 2020 e as 15:00 horas do dia 25 de setembro de 2020, inclusive”.

Ler mais
Recomendadas

CEO do Bankinter assegura que não tem interesse em comprar o Novo Banco

As moratórias em Portugal pesam mais do que em Espanha. No total da carteira, a sucursal tinha mil milhões de euros em moratórias, pesando 15% no total, divididas entre crédito hipotecário que soma 600 milhões (14% do total) e 400 milhões em crédito a empresas (18%). Bankinter descarta mais aquisições em Portugal.

Lucros da Tesla sobem mais de 200%

Ao apresentar receitas superiores a oito mil milhões de dólares no terceiro trimestre, a Tesla desafiou a indústria automóvel num ano particularmente difícil para o setor devido à pandemia de Covid-19 e à turbulência económica que dela derivou.

Lucros do Bankinter afundam 50% para 220 milhões

Bankinter justifica recuo nos lucros com a realização de provisões devido à pandemia. Já o Bankinter Portugal viu os resultados antes de impostos recuarem 36% para 33 milhões de euros.
Comentários