FMI e Banco de Inglaterra apoiam Powell em vez de Trump

Trump criticou a Fed dizendo que foi o “erro” do banco central dos EUA que causou o pior sell-off do mercado de ações dos EUA desde fevereiro. “A Fed enlouqueceu”, disse o presidente, na quarta-feira.

epaselect epa07049184 Federal Reserve Board Chairman Jerome Powell announces the Fed is raising interest rates at a news conference after a Federal Open Market Committee meeting in Washington, DC, USA, 26 September 2018. The Feds raised their benchmark interest rate by a quarter point. EPA/JIM LO SCALZO

O presidente da Reserva Federal norte-americana (Fed), Jerome Powell, foi alvo de críticas por parte do presidente dos EUA, Donald Trump, devido à subida dos juros de referência no país. No encontro anual do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial, vários líderes mostraram apoio ao banqueiro central, em detrimento do governante.

Trump criticou a Fed dizendo que foi o “erro” do banco central dos EUA que causou o pior sell-off do mercado de ações dos EUA desde fevereiro. “A Fed enlouqueceu”, disse Trump, na quarta-feira, quando chegou à Pensilvânia para um comício.

As declarações foram polémicas e levaram a um comentário de Christine Lagarde, presidente do FMI, que disse “não associar” Powell “a loucura”, entrevista à CNBC. “Não, não. Penso que é extremamente sério, sólido e que toma certamente decisões com base em informações reais que comunica apropriadamente”, afirmou.

Mais tarde, foi Mark Carney, presidente do Banco da Inglaterra, a pronunciar-se. O homólogo no Reino Unido não poupou elogios ao norte-americano dizendo que “entre as muitas qualidades de Jerome Powell, é uma pessoa que realmente entende o funcionamento dos EUA e do sistema financeiro global”, afirmou Carney em conferência de imprensa.

A Fed já subiu as taxas de juros de referência nos EUA – federal funds rate – três vezes este ano, para o atual intervalo entre 2% a 2,25%. Os aumentos seguem em linha com o programa de ajuste monetário gradual proporcionado pela robustez da economia dos Estados Unidos. No entanto, Trump tem defendido que o preço mais alto do dinheiro irá causar uma desaceleração do crescimento económico, que se espera seja de 3% em 2018.

Relacionadas

Powell sobre críticas de Trump: “Fed não considera fatores políticos”

O presidente dos EUA tem criticado a Fed por subir os juros, dando força ao dólar. O líder do banco central, Jerome Powell, não só rejeitou um conflito político como aumentou a ‘federal funds rate’ pela terceira vez este ano.

Trump culpa a Fed por ‘sell-off’ nos mercados

A Fed, o Banco Central da China, o FMI e Itália contribuíram para uma situação de queda nas bolsas globais e subida nos juros das dívidas.
Recomendadas

Setor papeleiro coloca PSI 20 a valorizar na primeira sessão da semana

A bolsa de Lisboa abriu a primeira sessão da semana a ganhar, com a Navigator a liderar os ganhos.

Bolsa de Tóquio ganha 1,82% no fecho

O segundo índice de referência, o Topix, seguiu a mesma tendência e subiu 1,56%, nas últimas transações do dia, cotando-se nos 1.601,96 pontos.

Poderio global de dados ajuda gigantes tecnológicas a superar traumas

A Apple não trouxe mais más notícias e a Facebook superou as expetativas. Os investidores estão a gostar da resistência das tecnológicas e o potencial que a base global de clientes oferece.
Comentários