FMI sugere que previsões económicas podem melhorar um pouco

“Os dados económicos recentes sugerem que as perspetivas podem sem um pouco menos desastrosas do que quando foram divulgadas as previsões de crescimento no dia 24 de junho”, declarou Gerry Rice em declarações aos jornalistas, sublinhando que “algumas partes da economia mundial” começam a ultrapassar as dificuldades criadas pela pandemia de covid-19.

As perspetivas para a economia mundial são menos catastróficas do que o esperado em junho, indicou hoje o porta-voz do Fundo Monetário Internacional (FMI), sugerindo que as próximas previsões, que serão divulgados em 13 de outubro, podem melhorar.

“Os dados económicos recentes sugerem que as perspetivas podem sem um pouco menos desastrosas do que quando foram divulgadas as previsões de crescimento no dia 24 de junho”, declarou Gerry Rice em declarações aos jornalistas, sublinhando que “algumas partes da economia mundial” começam a ultrapassar as dificuldades criadas pela pandemia de covid-19.

O porta-voz salientou, no entanto, que a economia mundial não está “fora de dificuldades”. Tirando a China, as perspetivas “continuam muito difíceis, em particular para muitos mercados emergentes e países em desenvolvimento”.

Nas previsões macroeconómicas que divulgou em junho, o FMI apontava para uma queda de 4,9% da economia mundial em 2020, depois de ter antecipado uma recessão de 3% em abril.

Recomendadas

Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta semana

A semana será marcada pela discussão e votação na generalidade do Orçamento do Estado para 2021. Os analistas e investidores estarão ainda atentos à reunião do Banco Central Europeu e aos sinais que chegam sobre a economia, através da publicação da estimativa rápida do PIB da zona euro, do terceiro trimestre.
Vasco Cordeiro com Carlos César

Vasco Cordeiro diz que o PS teve “vitória clara e inequívoca” nos Açores

Líder do PS-Açores, que procura o terceiro mandato enquanto presidente do governo regional, defendeu que as eleições deste domingo “não foram um plebiscito ao governo regional”. E recusou-se a comentar paralelismos com o que aconteceu em 2015, quando a coligação liderada por Passos Coelho foi a mais votada, mas o seu governo acabou por ser derrubado na Assembleia da República.

Personalidades JE: Ricardo Salgado – Ascensão e queda do “DDT”

A BBC arrasou Ricardo Salgado, elegendo-o o pior executivo de 2014. Pedro Queiroz Pereira fez tudo para desmascarar Salgado e o luso-angolano Hélder Bataglia revelou as ligações desconhecidas. Eis a ascensão e queda do banqueiro que durante mais tempo liderou um banco privado em Portugal.
Comentários