Fórum Anual da Indústria Têxtil começa amanhã

Apoiar o investimento neste setor vai ser um dos focos das equipas comerciais do Novo Banco que o patrocinador exclusivo do maior simpósio do setor da indústria têxtil e vestuário (ITV).

O Fórum Anual da Indústria Têxtil começa esta quarta-feira no CITEVE, em Famalicão, e o Novo Banco é o patrocinador bancário exclusivo.

O Fórum da Indústria Têxtil é organizado pela ATP desde 1996, e esta será a sua 21.ª edição que decorrerá sob o desígnio “ITV no horizonte 2025: Uma visão prospetiva”. Ao longo das diversas edições, o foco tem incidido, sob diferentes motes, nas grandes questões do setor do têxtil e do vestuário, o que permitiu definir estratégias para a fileira, mantendo-as em constante atualização.

O patrocínio do banco liderado por António Ramalho “enquadra-se no âmbito do protocolo de parceria que o Novo Banco estabeleceu com a Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP), para promoção do setor têxtil, e no apoio e acompanhamento que o Banco mantém junto das empresas deste setor que constituem uma das mais antigas e inovadoras indústrias portuguesas”, refere a instituição financeira em comunicado.

Apoiar o investimento neste setor vai ser um dos focos das equipas comerciais do Novo Banco. Por isso, essas equipas “vão estar no Fórum para apresentar aos empresários as soluções de ofertas de produtos e serviços financeiros específicos e de referência, que promovem a competitividade e a produtividade nesta área”, diz o banco.

Recomendadas

Abanca sem interesse no Eurobic. Banco espanhol diz que quer crescer através de aquisições em Portugal

Quando questionado sobre se manteria o interesse em retomar as negociações para a compra do EuroBic, o banqueiro espanhol afastou liminarmente esta possibilidade.

Abanca reduz lucros em 47% para 133 milhões de euros

Juan Carlos Escotet referiu que o Abanca desistiu definitivamente do EuroBic, “mas que continua muito atento e interessado em crescer em Portugal e atento a oportunidades”, pois Portugal é um mercado importante para o banco espanhol. Abanca constituiu imparidades no valor de 163 milhões de euros devido à pandemia da Covid-19.

Fitch: Montepio com pior rácio de capital e BCP com maior dimensão de ativos problemáticos

A Fitch fez um estudo comparativo de seis bancos – CGD, BCP, Novo Banco, Santander Totta, BPI e Banco Montepio. Comparou o rácio de capital de cada com os requisitos regulamentares e comparou o peso dos ativos problemáticos líquidos no capital de melhor qualidade. O Montepio e o Novo Banco saem pior na fotografia. O BCP tem um maior volume de ativos problemáticos mas estes pesam menos no capital.
Comentários