FPF e Liga de clubes firmam acordo para centralizar direitos televisivos até 2027/28

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) assinaram na terça-feira um memorando de entendimento para concretizarem a centralização dos direitos televisivos até 2027/28, anunciaram esta quarta-feira os dois organismos.

Presidente da Liga Portugal, Pedro Proença

Este acordo, aprovado pelas direções dos dois organismos, visa criar uma sociedade, nos próximos meses, tendo “como único propósito” a “gestão do processo de negociação centralizada dos direitos de transmissão televisiva das competições profissionais”.

“A FPF e a LPFP consideram que a gestão centralizada dos direitos de transmissão televisiva constitui uma ferramenta nuclear para um desenvolvimento acelerado do futebol profissional em Portugal”, lê-se no comunicado divulgado no sítio oficial da FPF na Internet, acrescentando que este trabalho “terá, como não poderia deixar de ser, o permanente envolvimento das sociedades desportivas participantes nas competições”.

Os dois organismos que regem o futebol e as competições profissionais da modalidade “acreditam que, no limite, até 2027/2028, esta transformação estará concluída”.

“Estamos muito satisfeitos por formalizarmos com a LPFP um acordo que visa concluir, até à época 2027/28, a centralização dos direitos televisivos. A sustentabilidade e o desenvolvimento do futebol nacional no seu todo estão intimamente ligados a esta negociação. Parece-nos que este é um sinal da irrevogável vontade da FPF e da LPFP concluírem este processo e trabalharem em conjunto para apresentar melhores soluções para o futebol nacional”, referiu o presidente da FPF, Fernando Gomes.

Também Pedro Proença, presidente da LPFP, deu conta da satisfação com o acordo.

“A assinatura deste memorando de entendimento é um passo determinante no caminho de crescimento e sustentabilidade do futebol português e a prova do alinhamento estratégico existente entre a LPFP e a FPF em relação aos modelos de comercialização dos direitos audiovisuais em Portugal”, assinalou Proença.

Ler mais
Recomendadas

SAD do Benfica com lucro de 8,2 milhões no primeiro semestre da temporada

O resultado operacional, que inclui transferências de jogadores, é de 12,8 milhões de euros positivo, para os quais contribuiu a transferência de Ruben Dias para o Manchester City, por 68 milhões de euros.

“Não há espaço para questões emocionais” na negociação dos direitos televisivos, avisa especialista em marketing desportivo

Daniel Sá defende que em Portugal deve existir um conjunto de critérios objetivos para uma distribuição justa dos valores envolvidos na negociação. “Podemos ir beber várias das experiências que já existem e encontrar o modelo certo para nós”, refere.

Fórmula 1 fecha 2020 com perdas de 444 milhões e queda de 43% nas receitas

As receitas da Fórmula 1 caíram 43% no ano fiscal encerrado a 31 de dezembro de 2020, em comparação com o de 2019. Há um ano, a empresa recebeu dois mil milhões de dólares (1,6 mil milhões de euros).
Comentários