Franceses da Saint-Gobain investem 600 mil euros em novo armazém no Carregado

Empresa de materiais de construção concluiu o investimento no Centro Produtivo do Carregado, em Alenquer, para ter a possibilidade de expedir soluções de três marcas.

A francesa Saint-Gobain concluiu o investimento de 600 mil euros num novo armazém no Centro Produtivo do Carregado (Nave H), em Alenquer. A empresa do sector de construção, fundada em 1665 pelo político Jean-Baptiste Colbert, pretende aumentar a oferta de produtos multimarca através da melhoria e expansão do espaço que tem naquela zona de Portugal.

Concretamente, a Saint-Gobain quer ter a possibilidade de expedir soluções de três marcas: a ISOVER (de soluções para isolamento térmico, acústico e proteção contra o fogo), a Placo (fabrico e comercialização de gesso e placas de gesso laminado) e a Weber (produção e comercialização de argamassas industriais).

A gigante gaulesa tem uma nave (H) de produção industrial neste centro do Carregado, bem como um armazém, uma zona de recolha e carga de empilhadores, uma zona de manutenção, a Academia Saint-Gobain Portugal, o Laboratório Tinting e uma área de escritórios.

Depois deste investimento, a empresa terá um maior espaço para acondicionar produtos de forma segura e uma maior área coberta, aumentada em 27% para uma maior proteção dos bens. As obras foram feitas sobretudo com materiais da Saint-Gobain, com foco na sustentabilidade (eficiência energética).

“O investimento pretende ainda melhorar o serviço prestado ao cliente, na medida em que a empresa está agora apta para responder aos diferentes stakeholders com uma maior oferta, por sua vez mais rápida, possuindo ainda uma maior capacidade de armazenamento”, refere a Saint-Gobain, em comunicado divulgado esta quarta-feira.

Recomendadas

Manuel Teixeira Duarte sobe à presidência da construtora portuguesa

A nomeação de Manuel Teixeira Duarte acontece no momento em que Pedro Teixeira Duarte renuncia ao cargo de presidência da Teixeira Duarte, que teve efeitos produzidos no passado dia 30 de junho de 2021. 

Prejuízo da Teixeira Duarte ascende a 19 milhões no primeiro semestre. Mercado português cresce 2,6%

O grupo refere que o volume de negócios na construção no país manteve-se ao nível do verificado nos primeiros seis meses de 2020, atingindo agora os 68.786 milhares de euros.

PremiumZagope coloca ‘Lava Jato’ para trás e quer “voltar com força máxima ao mercado português”

Ricardo Sá assegura que a construtora não recorreu ao ‘lay-off’ devido à Covid.
Comentários