Francisco André é o novo chefe de gabinete do primeiro-ministro

É membro da Comissão Permanente do PS, assumindo na direção dos socialistas a responsabilidade pelo pelouro das relações internacionais.

O dirigente socialista Francisco André assume, a partir de outubro, as funções de chefe de gabinete do primeiro-ministro, António Costa, substituindo nestas funções a jurista Rita Faden, disse hoje à agência Lusa fonte oficial do Governo.

Francisco André, de 41 anos, é membro da Comissão Permanente do PS, assumindo na direção dos socialistas a responsabilidade pelo pelouro das relações internacionais.

Entre outros cargos, Francisco André foi conselheiro na Representação Permanente de Portugal (REPER) na União Europeia e desempenhou as funções de chefe de gabinete do secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros Jorge Lacão, no primeiro Governo liderado por José Sócrates (2005/2009).

Rita Faden regressa em outubro ao seu lugar de origem de diretora-geral do Departamento de Assuntos Jurídicos do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

“Este regresso de Rita Faden ao Ministério dos Negócios Estrangeiros foi acertado com o primeiro-ministro no início do verão”, acrescentou à agência Lusa fonte do executivo.

Recomendadas

Diplomas para a legalização da canábis chumbados no Parlamento

Os diplomas de Bloco de Esquerda e PAN para a legalização da canábis para uso recreativo, foram ontem debatidos em Parlamento mas foram chumbados. PSD, PCP e CDS-PP votaram contra, enquanto que o PS defendeu votos mistos.

Rui Rio: “Isto não pode ser a política do bota abaixo permanentemente”

O presidente do PSD diz que a sua liderança saiu reforçada e pede “tranquilidade” para liderar o partido e que não “haja permanente ruído”.

Governo vai avaliar riscos de corrupção nos decretos-lei

“Não podemos ignorar os resultados dos múltiplos estudos de distintas entidades que invariavelmente apontam para estarmos longe de obtermos vencimento na luta contra a corrupção”, justificou o secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros.
Comentários