Freitas do Amaral internado nos cuidados intermédios em hospital de Cascais

O antigo presidente e fundador do CDS Diogo Freitas do Amaral encontra-se desde segunda-feira internado nos cuidados intermédios no Hospital da CUF em Cascais, transmitiu hoje à agência Lusa fonte da sua família.

De acordo com a mesma fonte, Diogo Freitas do Amaral, professor catedrático de Direito e antigo ministro dos Negócios Estrangeiros, de 78 anos, “encontra-se nos cuidados intermédios a realizar exames clínicos”.

No final de junho deste ano, Freitas do Amaral lançou o seu terceiro livro de memórias políticas, intitulado “Mais 35 anos de democracia – um percurso singular”, que abrange o período entre 1982 e 2017, editado pela Bertrand.

Nessa ocasião, em que contou com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o primeiro líder do CDS e candidato nas presidenciais de 1986 recordou o seu “percurso singular” de intervenção política, afirmando que acentuou valores ora de direita ora de esquerda, face às conjunturas, mas sempre “no quadro amplo” da democracia-cristã.

Freitas do Amaral fez parte de governos da Aliança Democrática (AD), entre 1979 e 1983, e mais da tarde do PS, entre 2005 e 2006, após ter saído do CDS em 1992.

Recomendadas
antónio_costa_silva_partex_4

António Costa Silva defende “pacto entre Estado e empresas”

António Costa Silva, gestor nomeado pelo primeiro-ministro para coordenar os trabalhos preparatórios do plano de relançamento da economia, defende, em entrevista à Lusa, um “pacto entre Estado e empresas” e um “equilíbrio virtuoso” com os mercados.

Costa Silva: Plano de recuperação económica deverá ser entregue no final do mês

O plano de recuperação económica terá “cerca de nove ou 10 pilares estratégicos” e deverá ser entregue “no final do mês”, disse António Costa Silva, gestor nomeado para coordenar os trabalhos preparatórios do plano de relançamento da economia.

PSD quer aumentar dedução do IVA com hotéis e hostels para promover férias em Portugal

A medida consta do programa de retoma económica apresentado esta quarta-feira pelo PSD e tem em vista incentivar os portugueses a dar preferência a férias em Portugal e contribuir para uma recuperação rápida do setor que foi fortemente prejudicado pela pandemia da Covid-19.
Comentários