Fumadores arriscam até 250 euros de multa se atirarem beatas para o chão

Se os tabagistas estão sujeitos a multas, o mesmo acontece às entidades que não disponibilizem cinzeiros aos clientes. Para as entidades, as multas podem ir dos 250 euros até aos 1.500 euros. A medida vai ser submetida à votação final na sexta-feira e só entra em vigor em 2020.

Atirar o que resta de um cigarro para o chão é um hábito adquirido por muitos fumadores. Agora, o comportamento de deitar beatas de cigarros para o chão vai corresponder a uma multa mínima de 25 euros, sendo que pode atingir um valor máximo de 250 euros.

Segundo o Expresso, os tabagistas estão sujeitos a multas, o mesmo acontece às entidades que não disponibilizem cinzeiros aos clientes. Caso entidades como cafés ou restaurantes não disponibilizem um cinzeiro para a deposição das beatas, estão a cometer uma infração que lhes pode custar entre 250 euros e 1.500 euros.

Esta medida foi aprovada no passado dia 14 de junho, após o projeto de lei do PAN, que prevê ainda a criação de ações de sensibilização para os fumadores e cinzeiros nas paragens dos transportes públicos.

Apesar de a medida só vir a entrar em vigor em 2020, devido a um ano de adaptação em que não são aplicadas multas, o Governo vai ter de realizar as ações de sensibilização pedidas pelo PAN, junto de consumidores, empresas e outras entidades.

Embora já tenha sido aprovado na especialidade, a votação final na generalidade só acontecerá na próxima sexta-feira.

Recomendadas

Contas do PSD congeladas por causa de dívida de mais de seis mil euros a serralheiro

Em causa está um episódio que remonta às eleições autárquicas de 2017, quando o PSD requereu serviços a um serralheiro para montar estruturas para cartazes em São Pedro do Sul, distrito de Viseu. O partido não pagou a totalidade da conta porque queria que fossem os responsáveis locaais a assumirem os custos.

PremiumPS mantém avanço sobre PSD, Chega sobe a quinto partido e CDS em queda

Bloco de Esquerda desce para 7,7% em fevereiro, mas permanece a terceira força, enquanto oCDS-PP tomba para 2,1% e já só está à frente do Livre.
António Costa Assina OE2020

PremiumGoverno sem plano para coronavírus na função pública

Sindicatos da Administração Pública alertam para inexistência de instruções para lidar com Covid-19. Reclamam segurança de funcionários e utentes.
Comentários