Fumadores arriscam até 250 euros de multa se atirarem beatas para o chão

Se os tabagistas estão sujeitos a multas, o mesmo acontece às entidades que não disponibilizem cinzeiros aos clientes. Para as entidades, as multas podem ir dos 250 euros até aos 1.500 euros. A medida vai ser submetida à votação final na sexta-feira e só entra em vigor em 2020.

Atirar o que resta de um cigarro para o chão é um hábito adquirido por muitos fumadores. Agora, o comportamento de deitar beatas de cigarros para o chão vai corresponder a uma multa mínima de 25 euros, sendo que pode atingir um valor máximo de 250 euros.

Segundo o Expresso, os tabagistas estão sujeitos a multas, o mesmo acontece às entidades que não disponibilizem cinzeiros aos clientes. Caso entidades como cafés ou restaurantes não disponibilizem um cinzeiro para a deposição das beatas, estão a cometer uma infração que lhes pode custar entre 250 euros e 1.500 euros.

Esta medida foi aprovada no passado dia 14 de junho, após o projeto de lei do PAN, que prevê ainda a criação de ações de sensibilização para os fumadores e cinzeiros nas paragens dos transportes públicos.

Apesar de a medida só vir a entrar em vigor em 2020, devido a um ano de adaptação em que não são aplicadas multas, o Governo vai ter de realizar as ações de sensibilização pedidas pelo PAN, junto de consumidores, empresas e outras entidades.

Embora já tenha sido aprovado na especialidade, a votação final na generalidade só acontecerá na próxima sexta-feira.

Recomendadas

Passes, energia renovável e eficiência. Os truques de Medina para combater as alterações climáticas

“Olhando para os dados, os últimos anos foram os mais quentes de que há registo”, afirmando que esta é uma das realidades mais visíveis no nosso país, que tem enfrentado secas extremas, incêndios e cheias.

Alterações climáticas: Lisboa ameaçada por cheias, seca, subida do nível do mar e calor excessivo

“A erosão continua, o calor excessivo aumenta, a seca meteorológica vai aumentar na zona de Setúbal e as cheias vão atacar o Tejo”, especialmente na região em que o Governo está a planear construir o aeroporto do Montijo, alerta especialista.

PremiumEx-secretário de Estado orienta reestruturação financeira do CDS-PP

Leonardo Mathias, antigo ‘número dois’ de Pires de Lima, foi escolhido para resolver situação financeira do CDS-PP. Tem como missão colocar a dívida em níveis geríveis, afastando-a o máximo que possível dos dois milhões.
Comentários